Na lista das pessoas mais ricas de África para o ano de 2021 publicada pela revista americana de negócios Forbes, apenas sete países têm bilionários e, entre eles, nenhuma mulher.

Folorunsho Alakija, da Nigéria, e Isabel dos Santos, de Angola, que figuravam na lista 2020 dos bilionários africanos, desapareceram na de 2021, porque ficaram abaixo do patamar de mil milhões de dólares  segundo o cálculo da riqueza delas feito pela revista Forbes. Mas por razões bem diferentes.

A Forbes explica, no entanto, que o valor do Alakija caiu para menos de mil milhões de dólares devido à pandemia do Novo Coronavírus, que afetou os preços do petróleo.

Em março de 2020, os preços do petróleo caíram para níveis não vistos desde 2002, devido a uma queda brusca e profunda na procura por petróleo bruto, já que o mundo tinha entrado em confinamento para sobreviver à pandemia.

A angolana Isabel dos Santos, por outro lado, caiu abaixo da marca de mil milhões após uma série de ações judiciais que congelaram os seus bens em Angola e Portugal. Em 2020, foi acusada pelo Procurador-Geral de Angola de peculato e lavagem de dinheiro. Desde 2013, que a Forbes a nomeava como  a mulher mais rica da África, com valor estimado em 3,5 bilhões de dólares.

Folorunsho Alakija, de acordo com a Forbes, é assim, a mulher mais rica da Nigéria e de África.

Em maio de 2015, duas mulheres nigerianas, a então, Ministra das Finanças Ngozi Okonjo-Iweala e Alakija, foram incluídas entre as 100 mulheres mais poderosas do mundo, de acordo, uma vez mais, com a Forbes, tendo Alakija ficado em 86º lugar e ambas foram consideradas como a primeira e segunda mulheres mais influentes e poderosas de África.

Alakija teve como primeiro negócio uma marca de moda cujos clientes incluíam a esposa do ex-presidente nigeriano Ibrahim Babangida.

Hoje tem negócios nas indústrias da moda, petróleo, imobiliária e gráfica.

É a CEO do Grupo de gráficas, The Rose of Sharon, vice-presidente executiva da petrolífera Famfa Oil Limited  e tem participação majoritária no grupo imobiliário DaySpring Property Development.

Folorunsho tem uma fundação filantrópica chamada Fundação Rosa de Sharon que ajuda viúvas e órfãos a obterem bolsas de estudo e investimentos para começarem negócios. Alakija financiou um centro de formação técnica ao Yaba College of Technology, uma instituição de ensino superior localizada em Lagos.

Lembramos que a Forbes nomeou Aliko Dangote da Nigéria como o homem mais rico da África com um valor estimado de 12,1 mil milhões de dólares, um aumento de 2 mil milhões de dólares em relação à lista de 2019, graças ao aumento de cerca de 30% das ações da Dangote Cement, de longe o seu ativo mais valioso.

O segundo africano mais rico é o egípcio Nassef Sawiris, cujo principal ativo é uma participação de quase 6% na marca de equipamentos desportivas Adidas. Fortuna estimada em 8,5 mil milhões de dólares.

Flickr ©

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.