Fórum Empresarial África/Singapura: a revolução digital africana

A pandemia Covid-19 não deve reduzir o interesse dos investidores em África, que continua a ser, apesar das dificuldades atuais, um destino privilegiado, foi o que disseram vários oradores na abertura do Fórum Empresarial África-Singapura 2021, a 23 de Agosto de 2021, tal como noticiado por Mercados Africanos.

Nos últimos cinco anos, o comércio entre Singapura e a África cresceu continuamente, com a cidade-estado do sudeste asiático entre os dez maiores investidores do continente.

Mais de cem empresas de Singapura operam atualmente em cinquenta países africanos em hidrocarbonetos, bens de consumo, digital, agronegócio e comércio.

Nesta ocasião, o Presidente do Grupo do Banco Africano de Desenvolvimento, expressou o seu otimismo sobre as oportunidades de investimento: “Não se pode ignorar os mercados africanos … A África está aberta a investidores … Desafios representam oportunidades. “

Questionado sobre setores promissores em África, o presidente Adesina citou nomeadamente as energias renováveis, o desenvolvimento de mini e micro redes de energia solar, tecnologias digitais, infraestrutura e logística.

O encontro anual teve como objetivo identificar oportunidades em áreas-chave, como tecnologias digitais, finanças, inovação, indústria e melhoria de áreas urbanas.

Durante o painel intitulado “Dando passos de gigante face ao resto do Mundo: Inovação e Sustentabilidade em África” ​​ Tharman Shanmugaratnam, Ministro Sénior e de Estado para Coordenação de Política Social de Singapura, sublinhou que África continua a ser um destino importante para investimentos de longo prazo, com um número indiscutível de oportunidades.

Revolução digital, ZCLCA, crescimento verde

A revolução digital e industrial, o novo acordo da Zona de Comércio Livre Continental Africano (ZCLCA) e o crescimento verde foram citados como setores com alto potencial de investimento.

Tharman Shanmugaratnam apontou que “A África está às portas de uma revolução da conectividade. Esta é uma grande oportunidade”, dando como exemplo a plataforma piloto inovadora que Singapura criou com o Banco do Gana e que conecta pequenas e médias empresas com credores e oferece uma troca gratuita de informações.

Por seu lado Adesina citou a iniciativa “Coding for Jobs” como exemplo do compromisso do Banco em investir em capital humano, considerado o recurso mais importante.

“Com a rápida disseminação dos serviços bancários móveis, a África demonstrou inovação em tecnologias financeiras e revolucionou os sistemas de pagamento”, disse ele. Na África Oriental, um sistema de pagamento móvel como o Mpesa está entre os líderes mundiais. Cerca de 80% das pequenas e médias empresas possuem contas digitais… Preste atenção!

Referindo-se à ZCLCA, o presidente do BAD, enfatizou que é a segunda maior área de livre comércio do mundo, “e não será apenas uma área de consumo. Deve ser uma área de produção”.

Veja Também: BAD: Participe no Fórum de Negócios África Singapura

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.