França avisa “Nova variante africana” Camarões desmente.

O governo camaronês negou categoricamente relatos da identificação de uma nova variante do vírus Covid-19 que a França diz ser originário dos Camarões.

“Essas informações são uma síntese aproximada de um documento do tipo ‘pré-impresso’, ou seja, uma apresentação de dados científicos não validados. A análise preliminar dos dados apresentados mostra grandes lacunas na abordagem metodológica no que diz respeito às afirmações que daí resultam. Como resultado, esses documentos não têm evidências científicas nesta fase “, disse o ministro da Saúde Pública, Manaouda Malachie, em nota publicada nesta terça-feira, 4 de janeiro 2022.

Os oito casos de Covid-19 portadores de vírus cuja sequência e elementos clínicos e biológicos apresentados “não o tornam uma variante”, especifica-se, apenas um caso apresentado como tendo viajado para Camarões “Sem a cronologia dos eventos que permita estabelecer relação entre a referida viagem e a alegada infeção”.

De acordo com as autoridades camaronesas, no estado atual, nem as autoridades científicas internacionais e de saúde, nem o conselho científico camaronês forneceram qualquer confirmação sobre a transparência e veracidade dessas alegações.

Diante da pandemia, Camarões montou 24 laboratórios de PCR e 4 plataformas de sequenciamento que permitem diagnosticar casos de infeção por Covid-19, o que promove monitoramento eficaz e atendimento adequado ao paciente.

A cinco dias do pontapé de saída da 33° Campeonato Africano das Nações (CAN), que será disputado de 9 de janeiro a 6 de fevereiro de 2022 nos Camarões, o governo “deseja tranquilizar a opinião nacional e internacional e toda a comunidade esportiva. O rigor das medidas de vigilância epidemiológica e genômica tomadas e que a situação pandêmica está sob controle”.

Recorde-se que a controvérsia gira em torno de uma nova suposta variante do covid-19 descoberta na França e que está a fazer os títulos das notícias e nas redes sociais, nomeadamente o facto das autoridades francesas não parecerem querer assumir a origem do paciente zero.

As autoridades francesas descartaram a origem dessa suposta variante e indicaram que o paciente zero supostamente permaneceu nos Camarões antes de ter um teste positivo.

No entanto a medRxiv, plataforma de periódico científico independente reconheceu que as suas produções ainda não foram avaliadas pela comunidade científica, a nova variante teria sido descoberta no final de 2021 e foi detetada em 12 pessoas, mas, de acordo com as autoridades francesas, o paciente zero tinha estado nos Camarões.

Esta informação – contestada pelo Governo camaronês – que não está confirmada, nem cientificamente nem tão pouco pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e divulgada ao público global, faz com que a opinião publica mundial veja esse país da África Central e o continente africano, uma vez mais, como ponto de partida desta nova forma de Covid 19, com todas as conotações negativas que isso implica.

O que achas da posição da França? E a dos Camarões?  Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.