França investe no algodão da Costa do Marfim.

O dinamismo do setor algodoeiro na Costa do Marfim não pode ser negado.

Para a apanha de 2020/21, a produção de fibra deve bater um recorde pelo terceiro ano consecutivo de 1 milhão de fardos de 480 libras (217.824 toneladas), estima o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Um novo aumento previsto de 11% após o de 12% em 2019/20 com 900.000 fardos, o que colocaria a Costa do Marfim em terceiro lugar entre os produtores da África Subsaariana.

No âmbito do Projeto de Apoio à Resiliência dos Sistemas de Algodão no Norte da Costa do Marfim, a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) vai financiar 40 milhões de euros, para impulsionar o setor algodoeiro ao mesmo tempo que garante a sua sustentabilidade.

Espera-se que seja igualmente possível, o mesmo tipo de investimento no setor de cacau, do qual a Costa do Marfim é o maior produtor mundial.

“A possibilidade de promover o cacau e ter uma indústria agroalimentar que apoie o cacau, protege contra a flutuação dos custos do cacau (…) Cria empregos no território e valoriza a economia marfinense. Tudo isso é o rumo para o qual queremos nos orientar”, disse o ministro da Economia, Finanças e Recuperação da França, Bruno Le Maire

O Governo marfinense que se congratulou com o compromisso da França em apoiar o seu país na política de melhoria da produção agrícola, prometeu que os ministérios envolvidos farão bom uso deste financiamento, proporcionando-lhe valor agregado.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.