Fundação Feel Cabo Verde entrou nos jogos sociais em Cabo Verde, com concessão para 20 anos e vai passar a organizar e explorar os dois novos jogos solidários do país, a Raspadinha e a Troca Solidário.

Com intervenção por enquanto apenas no ensino, a Feel (de origem espanhola) não deixou perder esta oportunidade de apostar em nova área e de ter mais recursos para as suas atividades, conforme disse Dariu Dantas dos Reis, que teve uma procuração para assinar o contrato de concessão em nome da presidente da Feel Cabo Verde, Raquel Solano.

Presente em Cabo Verde desde 2012, a Feel é uma fundação sem fins lucrativos, de origem espanhola que no país africano intervém até agora no ensino. Mas para Dariu Dantas dos Reis, a concessão dos novos jogos sociais em Cabo Verde vai conceder à instituição mais fundos para ir mais além, intervindo também em outras áreas como a ciência, a educação, saúde, desporto e cultura.

Com o contrato, os lucros dos jogos sociais serão distribuídos em 51% pelo Estado e 49% pela concessionária. “Esses 49% dos lucros vão ser todos investidos em Cabo Verde. Esse dinheiro não pode sair de Cabo Verde”, garantiu o procurador da presidente da Feel Cabo Verde.

E depois de assinar o contrato, Dariu Dantas dos Reis disse que não há mais tempo a perder, estando tudo preparado para a Feel entrar no jogo já. “Tudo vai ser informatizado, o software está todo preparado e estávamos só à espera desta assinatura para poder arrancar”.

Neste momento, a fundação está ligada à Universidade Intercontinental de Cabo Verde (UNICA), da qual Dariu Dantas dos Reis é o reitor, e tem trabalhado na área do ensino. E em cerca de oito anos, o trabalho já é visível: contribuiu com dezenas de bolas de estudos para estudantes universitários e comparticipou no pagamento de propinas a outros tantos estudantes.

“Se se conseguir fazer uma intervenção nesses cinco domínios, não era preciso mais. Se tiver uma intervenção com cabeça nestes domínios da saúde, da ciência, do desporto e da cultura, o que é que é preciso fazer mais?”, questionou Dariu Dantas dos Reis, explicando que a Feel terá apostado em Cabo Verde pela estabilidade do país, mas eventualmente para ser uma ponte para outras zonas de África. A fundação intervém em Espanha, mas também na América Latina.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.