O Gabão poderá assinar com o Fundo Monetário Internacional (FMI) em março próximo um programa de três anos apoiado pelo Extended Credit Facility (ECF) com o objetivo de acelerar a transformação económica.

Após a 4ª e 5ª revisões do contrato da Extended Credit Facility em dezembro 2020, que permitiu um desembolso de 123 milhões, de dólares, o Gabão retornará ao FMI neste trimestre a fim de otimizar o plano de aceleração da transformação 2021-2023 que deverá permitir “reduzir o serviço da dívida e libertar mais espaço de manobra em numerários ”.

Segundo o governo, este novo compromisso deverá permitir melhorar as condições de vida das populações, enquanto o Gabão atravessa uma situação difícil reforçada pela crise sanitária ligada ao Novo Coronavírus que contraiu a economia, que passou dum ritmo crescimento de 3,8% em 2019 para 2% em 2020.

Se o alívio da dívida e as margens de tesouraria adicionais figuram entre as prioridades do programa previsto, o Estado gabonês deve também dar ênfase ao controlo das despesas, bem como à melhoria dos recursos próprios, em particular dos recursos não petrolíferos. O país depende em mais de 80% do petróleo.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.