Gabão: Mulheres tornam país mais forte, inovador e inclusivo.

Durante a mensagem de Ano Novo, o Presidente do Gabão, Ali Bongo sublinhou a alteração da lei com o objetivo de garantir a igualdade entre mulheres e homens e afirmou: “Essas reformas são do interesse de todos em nosso país, mulheres e homens”

Ao referir-se ao papel das mulheres na sociedade e economia gabonesas, acrescentou: “Colocadas em situações, com responsabilidade, mulheres corajosas demonstram as suas habilidades e eficiência todos os dias. Seja na vida política, na vida administrativa, na vida económica ou na vida social. Quer sejam médicos, empresários, professores, magistrados, soldados, policiais, ministros, parlamentares, governadores de províncias, presidentes de câmara”

E insistiu “Todos os dias, elas ajudam a construir o nosso país, a construir a nossa nação. Amanhã, graças a elas, o Gabão estará mais forte, maior, mais criativo, mais inovador e acima de tudo mais inclusivo.

Sobre a política externa deste pequeno país da África Central, Bongo divulgou orgulhosamente que: “A partir de amanhã, 1º de janeiro de 2022, e pelos próximos dois anos, o Gabão fará parte do Conselho de Segurança das Nações Unidas, onde foi eleito membro não permanente. É uma grande responsabilidade e uma grande fonte de orgulho”.

“Este é o reconhecimento do papel importante que o Gabão desempenha na paz, estabilidade e segurança regional, continental e internacional. A este respeito, vamos todos saudar e reconhecer a sorte de que temos no Gabão para viver em paz. Nem todos os países têm essa chance. Devemos valorizá-lo e preservá-lo”.

Embora francófono (antiga colónia francesa), em 2022, o Gabão deve ingressar na grande Commonwealth (anglófona) que engloba 54 estados em todos os continentes.

O presidente gabonês considerou esta admissão como” uma grande viragem geopolítica para o nosso país, que num mundo globalizado quer abrir-se e se agregar a mais um espaço para o multicultural que também é promissor para o nosso país e como uma chave de entrada para novas oportunidades para os nossos jovens e as nossas empresas, pelo partido económico que o Gabão dela poderá tirar”.

A muito esperada “Trans gabonesa” uma das maiores infraestruturas rodoviárias de África, com 780 quilómetros que atravessa o país de leste a oeste, deve tornar-se realidade nos finais de 2022, princípios de 2023.

Esta infraestrutura há muito aguardada abrirá grande parte do interior do país e oferecerá oportunidades económicas significativas para a população e para as empresas e investidores.

Na área económica Ali Bongo mencionou a construção da hidrelétrica Kinguélé Aval, a criação da nova zona económica especial de Ikolo, a criação de zonas de produtos agrícolas de alta produtividade.

No setor minério o tão esperado relançamento do projeto Belinga. Esta mina de ferro é considerada uma das maiores ainda por explorar do mundo.

A posta em marcha desta mina de ferro, está articulada ao desenvolvimento industrial no Gabão nos próximos anos.

Espera-se que venha a criar centenas de empregos diretos, milhares de empregos indiretos; mas também abrir o interior do país, acelerar a diversificação da economia e gerar mais recursos para financiar projetos futuros e necessidades sociais.

O que achas destes projetos? O Gabão é um país de que pouco se fala, sabes o que se tem feito por lá? Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.