Gabão vai melhorar a gestão de resíduos.

No Gabão, a empresa alemã Bomag, especializada em máquinas de compactação de solos, asfalto e resíduos, está a negociar com o governo a instalação de uma central de gestão de resíduos na Grande Libreville, localizada na província de Estuaire.

A empresa propõe as suas soluções tecnológicas em resposta ao problema de manutenção de aterros nesta área urbana com crescimento populacional muito elevado.

A Grande Libreville, que engloba a capital gabonesa, tem que lidar diariamente com aterros não controlados, o que dificulta a vida dos cerca de um milhão de habitantes, ou seja, metade da população gabonesa.

“O objetivo é garantir uma melhor gestão dos riscos de segurança associados à emanação de gases tóxicos no aterro e também estabelecer um sistema de dispersão dos resíduos de forma a minimizar os colapsos. Isso otimizará as áreas de despejo de resíduos”

Explica o gerente de vendas da Bomag para África, Marc Werner Meir.

Segundo ele:

“o objetivo a longo prazo desta iniciativa é apoiar as autoridades públicas na melhoria da gestão de resíduos em áreas urbanas”.

No Gabão, as dificuldades na gestão dos resíduos domésticos devem-se à falta de instalações e equipamentos adequados.

A oferta da Bomag é um sinal de um novo sopro de vida para o aterro saturado de Mindoubé, localizado a 6 quilómetros a oeste do centro de Libreville.

Este aterro, que acumula diariamente toneladas de lixo das comunas vizinhas, liberta fumos das atividades de incineração ao ar livre, para grande desagrado das pessoas que pagam os custos da poluição do ar, da água e do solo.

Perante esta situação, a relocalização do aterro e a construção de uma central de reciclagem de resíduos estão entre as soluções consideradas pelas autoridades deste país centro-africano

Entretanto e enquanto se esperam o fim das negociações com a Bomag e as suas soluções tecnológicas, a empresa pública Clean Africa, responsável pela recolha de resíduos domésticos na área da Grande Libreville, lançou uma vasta operação de distribuição de caixotes do lixo de 240 a 1.000 litros a famílias em todos distritos da capital.

 

O que achas desta situação?  A gestão de resíduos em África é problemática? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

Imagem: © 2013 Alan Levine
close
pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.