Google apoia 15 Start-ups africanas.

Para a sétima sessão do programa Google for Start-ups Accelerator Africa, anunciado a 14 de Março de 2022, as 15 start-ups africanas selecionadas vêm de sete países e beneficiarão de apoio por um período de 3 meses.

As start-ups foram selecionadas entre milhares de inscrições, com uma escolha final baseada em critérios como: estágio do produto e adequação ao mercado, desenvolvimento de soluções em áreas como a saúde, educação, gestão de frotas, automação logística e recrutamento

Nos próximos três meses, os promotores trabalharão com mentores e facilitadores da Google para aprender as melhores práticas em uma ampla variedade de tópicos, incluindo inteligência artificial, big data, cultura organizacional, estratégias de crescimento e muito mais.

Das start-ups selecionadas, 5 são da Nigéria, a saber, Clafiya, que liga pacientes e profissionais de saúde para fornecer serviços de atenção primária sob demanda, iVerify.ng, uma plataforma de integração de identidade digital e MDaaS Global, que constrói serviços de diagnóstico de saúde baseados em tecnologia em comunidades carentes.

A Terawork, uma plataforma pan-africana para freelancers que conecta o talento à procura global e, finalmente, a plataforma logística truQ, que automatiza e otimiza a logística Intra cidade para empresas de distribuição a retalho.

No Quénia, foram selecionadas 3 start-ups, nomeadamente a Fleetsimplify, uma plataforma de gestão de frotas para mobilidade partilhada, a HydroIQ com a sua rede virtual que oferece aos consumidores uma plataforma única e transparente para gerir o consumo de água e a Sukhiba que oferece uma plataforma de comércio comunitário descentralizada.

Também na África do Sul, 3 start-ups foram selecionadas pela Google, entre elas a Multiplied, que oferece um desenho orientado a dados em escala por meio de conteúdo personalizado para marketing e a Nulitics, integradora de sistemas e desenvolvedora de software de realidade mista especializada em tecnologia de vestuário XR.

Por sua vez a The Marking App oferece um aplicativo que marca automaticamente avaliações escolares manuscritas enquanto automatiza a administração escolar.

A Ridelink representa o Uganda, com a sua solução de tecnologia que torna a mobilidade de carga acessível para pequenas empresas, seguida pela SmartClass, uma rede de aquisição de habilidades que permite que os jovens aprendam com os seus pares.

O Egipto também está na lista, com a LyRise, uma plataforma que oferece às empresas uma maneira mais fácil e rápida de contratar e trabalhar com talentos de dados e de inteligência artificial da África.

Pela primeira vez, a Costa do Marfim está representada na Google para as Startups Accelerator Africa, com a empresa LaRuche Health, que oferece aplicações inclusivas que melhoram o acesso dos doentes a serviços preventivos de saúde.

Todas essas start-ups beneficiarão de suporte virtual que inclui seminários, sessões individuais e oportunidades de aprendizagem entre os pares.

Lembre-se que a Google for Startups Accelerator Africa já apoiou 82 start-ups de 17 países africanos nos últimos 4 anos.

Coletivamente, as start-ups arrecadaram 112 milhões de dólares nesse período e criaram 2.800 empregos diretos.

 

O que achas das start-ups africanas? O que achas que a Google ganha com estes apoios? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

Imagem: © Google
close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.