Segundo comunicado a que teve acesso Mercados Africanos, no final do 121º Conselho de Administração do Banco de Desenvolvimento da África Ocidental (BOAD), realizado a 23 de fevereiro 2021, o Banco autorizou um empréstimo no valor total de 10 mil milhões de FCFA (cerca de 16 milhões de euros) para a Guiné-Bissau.

Os empréstimos aprovados referem-se ao financiamento parcial de dois projetos:

Apoio à intensificação da produção alimentar (PAIPV), fase 1.

O projeto visa desenvolver o potencial das terras não utilizadas, através do desenvolvimento de culturas estratégicas como o arroz, com o objetivo de aumentar o poder financeiro e económico das populações na zona abrangida pelo projeto. Valor do financiamento: 5 mil milhões de FCFA.

Estrada Buba-Catió

Desenvolvimento e asfaltagem da estrada Buba-Catiò. O objetivo geral do projeto é contribuir para a abertura da região sul da Guiné-Bissau e facilitar o intercâmbio económico e social a nível nacional e sub-regional. Valor do financiamento: 5 mil milhões de FCFA.

Por decisão da União Económica e Monetária da Africa Ocidental (UMEOA), zona do Franco CFA, o BOAD entrou em vigor a 1 de agosto de 1994, e é uma instituição especializada e autónoma da UMEOA. Contribui com total independência para a realização dos objetivos da UEMOA, sem prejuízo dos objetivos que lhe são atribuídos pelo tratado da União.

O BOAD é um estabelecimento público de carácter internacional que visa, nos termos do artigo 2.º dos seus Estatutos, promover o desenvolvimento equilibrado dos Estados-Membros e contribuir para a concretização da integração económica de África.

Os países membros são: Benim, Burquina Faso, Costa do Marfim, Guiné-Bissau, Mali, Níger, Senegal e o Togo

O Banco africano de Desenvolvimento (BAD) e o Banco Central dos estados da Africa ocidental (BCEAO) também fazem parte do BOAD.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome