Num comunicado divulgado esta sexta-feira (18.12) pela PGR da Guiné-Bissau, a instituição “informa que já lançou um mandado de captura internacional contra o cidadão Domingos Simões Pereira, no âmbito de um processo-crime que segue os trâmites legais nesta instituição judiciária detentora da ação penal” embora a nota não mencione a natureza do crime.

Domingos Simões Pereira, líder do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), está há vários meses em Portugal após ter disputado as eleições presidenciais do final do ano passado com o atual Presidente, Umaro Sissoco Embaló.

No entanto num comunicado também divulgado na sexta-feira (18.12), o Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) diz entender que a comunidade internacional “deveria assumir uma posição clara e inequívoca sobre tentativas de perseguição e intimidação” dos militantes, dirigentes e presidente do partido, Domingos Simões Pereira.

“O PAIGC não tolerará mais quaisquer intimidações ao partido e ao seu presidente e dará conta desta nota a toda a comunidade internacional representada na Guiné-Bissau para estarem ao corrente desta deriva lunática do atual Procurador-Geral da República”, refere o comunicado emitido na sequência de uma reunião da comissão permanente do partido.

Mercados Africanos abordará, em exclusividade, este assunto esta semana.

Veja Também: Domingos Simões Pereira está de volta a Bissau

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.