Guiné-Bissau: UEMOA estimou o crescimento de 2021 em 6,3%

O crescimento da Guiné-Bissau no ano de 2021 indicou um aumento superior ao da atividade económica da União Económica e Monetária da África Ocidental (UEMOA) que foi de 6,1% contra 1,8% em 2020, segundo dados do Departamento de Políticas Económicas e Fiscalidade Interna (DPEFI).

“Os efeitos negativos da crise sanitária nas economias dos Estados-Membros da União diminuíram claramente”, indicou o DPEFI.

Ainda de acordo com esta estrutura, a taxa de crescimento por Estado-Membro foi bastante díspar: +7,0% para o Benim, +7,1% para o Burquina Faso, +6,5% para a Costa do Marfim, +6,3% para a Guiné-Bissau, +5,2 % para o Mali, +5,5% para o Níger, +5,0% para o Senegal e +5,3% para o Togo.

No que diz respeito à atividade agrícola, o DPEFI observopu que as estimativas para o ano agrícola 2020/2021 indicaram que para o Burquina Faso, Senegal e Costa do Marfim, a produção de exportação registou aumentos respetivos de 31,6%, 33,0% e 1,0%. Ao mesmo tempo, registaram-se declínios no Mali, Togo e Guiné-Bissau.

Quanto à produção alimentar, os maiores aumentos foram registados na Guiné-Bissau, com um aumento de 49,1%, face à época anterior. Também foram observados aumentos no Senegal, Benim, Costa do Marfim, Burquina Faso e Togo.

Relativamente à atividade industrial, a DPEFI refere na sua conjuntura regional que o índice de produção industrial da Guiné-Bissau aumentou 1,6% no terceiro trimestre de 2021, face ao trimestre anterior.

O aumento da produção dos ramos edição, impressão e reprodução de meios de comunicação (+4,4%), Fabricação de outros produtos minerais (+1,5%) e Fabricação de produtos alimentares (+1,2%) explica principalmente este aumento. Na comparação anual, no entanto, o índice caiu 26,8%.

Durante o trimestre em análise, o Índice Harmonizado de Produção Industrial subiu 6,2% no Mali. Este aumento seria principalmente atribuível ao aumento da produção dos ramos de Fabricação de produtos do tabaco (+63,1%), Fabricação de produtos químicos (+25,7%) e Fabricação de material elétrico (+22,9%). Na comparação anual, o índice cresceu 12,3%.

No período em análise, o IHPI cresceu 7,6% no Senegal principalmente devido ao aumento da produção nos Outros produtos da indústria mineira (20,8%), Produtos de refinação e coqueria (+10,1%) e Produtos manufaturados diversos (+15,5 %). Na comparação com o mesmo período de 2020, a produção industrial aumentou 12,4%.

No Togo, o terceiro trimestre de 2021 foi marcado por uma queda de 3,3% na produção industrial em relação ao trimestre anterior. De acordo com a DPEFI, esta situação é explicada principalmente pela queda muito significativa na produção de papel e cartão (-38,8%). Na comparação anual, a produção industrial cresceu 9,8%.

No setor comércio e serviços e de acordo com a DPEFI, o índice de volume de negócios do comércio a retalho caiu 5,8% na Costa do Marfim no terceiro trimestre de 2021, face ao trimestre anterior.

Este desempenho inferior é explicado, em particular, pelos decréscimos observados nos ramos de produtos petrolíferos (-12,7%), produtos agrícolas não transformados (-6,2%) e outros produtos (-6,7%). Na comparação anual, o índice acumula alta de 4,3%.

Para a Guiné-Bissau, este índice melhorou 3,1% no período em análise. Esta é a consequência dos aumentos verificados em outros aparelhos elétricos (+44,4%). Na comparação anual, o índice acumula alta de 8,9%.

Quanto ao Senegal, o volume de negócios do comércio apresentou um aumento de 2,4% no terceiro trimestre de 2021, em comparação com o segundo trimestre de 2021. Este aumento segue em particular o aumento do volume de negócios do comércio grossista (+8,8%). Na comparação anual, o índice cresceu 10,5%, principalmente devido ao comércio e reparação de automóveis e bicicletas.

O índice de volume de negócios de serviços do Senegal aumentou 0,04% no terceiro trimestre de 2021, em comparação com um trimestre anterior. Esta subida é explicada principalmente pelos aumentos observados ao nível dos ramos Atividades Imobiliárias (+28,4%) e Atividades Artísticas e Culturais (+36,7%). Na comparação anual, esse índice cresceu 19,3%.

Em 2022, projeta o DPEFI, espera-se uma taxa de crescimento de 6,5% no pressuposto da continuação da recuperação após a crise sanitária.

 

O que achas do crescimento da Guiné-Bissau em 2021? Se não fosse a pandemia, os valores de crescimento poderiam ter sido mais altos Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

Guiné-Bissau ratifica Tratado da ONU sobre a Proibição de Armas Nucleares

Guiné-Bissau produz 35 mil toneladas de manga

Guiné-Bissau: Reembolso antecipado da dívida externa

close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.