O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, lamenta que os países estejam a fazer uma corrida às vacinas contra a covid-19, a que chamou de ‘vacinismo’, e disse que é preciso aumentar o financiamento para a plataforma Covax.

“Estamos agora a assistir a um enorme esforço de vários países para garantirem vacinas para as suas próprias populações”, disse o antigo primeiro-ministro português, na mesma semana em que o Reino Unido deu início do processo de vacinação da população e nas vésperas de idêntico processo no Canadá e nos Estados Unidos.

“O vacinismo avança a todo o vapor”, lamentou o governante, voltando a usar uma expressão que já tinha usado em setembro, quando alertou para a necessidade de os países unirem esforços e verbas para garantir uma distribuição generalizada das vacinas contra a pandemia de covid-19.

Em África, por outro lado, a vacina só deverá estar disponível no segundo trimestre do próximo ano, e por isso Guterres defendeu um reforço do financiamento da plataforma Covax, que precisa de mais de 4 mil milhões de dólares até final do ano.

“Não é só a Covax que precisa, todos nós precisamos, porque se África não tiver um apoio adequado, não vamos conseguir combater eficazmente a pandemia noutros sítios”, disse, vincando a ideia de que ninguém estará a salvo até todos estarem a salvo em todo o lado.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.