A Hidroelétrica de Cahora Bassa (HCB) anunciou, através de um comunicado, ter produzido 11.602 gigawatts de energia elétrica, 2,3 % acima do previsto no plano de produção da empresa para o presente ano.

A nota, enviada à comunicação social, refere apesar do impacto da crise provocada pelo novo coronavírus, nos últimos nove meses, a venda de energia fixou-se em 19 mil milhões de meticais (218 milhões de euros), o correspondente a 1,7% acima do previsto.

“Esta realização permite a empresa continuar a implementar os seus projetos de melhoria na performance operacional e assegurar o cumprimento integral dos contratos com os colaboradores e clientes”, refere o comunicado da HCB.

A HCB, que gere a barragem com o mesmo nome na província de Tete, no centro de Moçambique, é a maior fonte de eletricidade do país e uma das maiores da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

A barragem é a maior da África Austral, com construção iniciada em 1969, ainda no período colonial, e operação a partir de 1977.

O Estado moçambicano detém 85% das ações da HCB, 7,5% pertencem à Redes Energéticas Nacionais (REN), empresa de transporte de energia de Portugal, e outros 7,5% são ações disponibilizadas na operação de oferta pública de venda (OPV).

Para além de Moçambique, a Hidroelétrica de Cahora Bassa fornece energia a países vizinhos como África do Sul, Zimbabué, entre outros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.