Na recentemente (20/01) Cimeira (virtual) de Investimento em África promovida pelo governo do Reino Unido, aliás noticiada e comentada por Mercados Africanos, o investimento nas energias renováveis foi considerado essencial para impulsionar a recuperação do crescimento e prosperidade económica do continente.

Esta posição foi defendida na sessão sobre inovação e a experiência britânica no contexto da parceria com África para promover o seu desenvolvimento económico e sublinhou que os investimentos em projetos de eletrificação em grande escala são fundamentais.

“Os países africanos estão a recuperar melhor do coronavírus”, segundo Louis Taylor, CEO da UK Export Finance, acrescentando que isso representa uma “oportunidade perfeita para os investidores do Reino Unido fazerem parte da história de sucesso de África e para os países africanos acederem ao apoio do Reino Unido para esses projetos”, acentuo ele na sua intervenção seguida por Mercados Africanos.

“O Governo do Reino Unido ainda é o maior investidor do G7 na África, por exemplo o UK Export Finance forneceu uma garantia de 1,7 mil milhões para apoiar o desenvolvimento do comboio elétrico monotrilho do Cairo, no Egito – a maior garantia de infraestrutura no exterior do Reino Unido ”, sublinhou Taylor.

Nicholas Oliver, Diretor de Desenvolvimento de Negócios da NMS Infrastructure Ltd, sediada no Reino Unido, exortou os investidores a envolverem-se mais ativamente com as empresas africanas: “Precisamos criar parcerias com governos e empresas locais. É um ótimo momento para investir em África. O Banco Africano de Desenvolvimento estima que as mudanças climáticas representem um investimento de 3 triliões de dólares até 2030. Que oportunidade”, disse ele, na mesma sessão seguida por Mercados Africanos.

Por seu lado, Olusola Lawson, codiretor administrativo da African Infrastructure Investment Managers, uma empresa de gestão de investimentos em infraestrutura, observou a necessidade urgente de acesso à energia em centros de grande procura:“Em África, não se pode ter transição sem eletrificação. ”

No mesmo painel, Mercados Africanos prestou atenção particular à intervenção de Wale Shonibare, Diretor do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) para Soluções Financeiras de Energia, Política e Regulamento que disse: “Com base na profunda experiência da cidade de Londres em soluções financeiras inovadoras, o BAD vê oportunidades promissoras para expandir ainda mais o seu programa e assegurar receitas de fornecedores de sistemas de energia solar”.

Shonibare citou a iniciativa do BAD chamada Desert to Power (do deserto para a eletrificação) como um exemplo de um projeto que provavelmente atrairá o interesse de empresas do Reino Unido.

A segunda UK Africa Investment Conference, organizada pelo Departamento de Comércio Internacional do Reino Unido, reuniu empresas do Reino Unido e de África para explorar as oportunidades de parceria e de investimento.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.