Jean-Pierre Adams: Faleceu um dos grandes africanos do futebol francês

O ex-defesa do Nimes e do Paris Saint-Germain (PSG) que passou quase quatro décadas em coma devido a um erro médico de anestesia durante uma cirurgia benigna ao joelho, faleceu esta segunda-feira, 6 de setembro 2021.

Com a falha na aplicação da anestesia, Adams sofreu danos cerebrais que o induziram ao coma. O caso ocorreu no Hospital de Lyon em 1982.

Adams e a sua esposa Bernadette tiveram dois filhos, Laurent e Frederic.

Em declarações à CNN sobre a época em que o seu marido fez a cirurgia no joelho, Bernadette disse: “A anestesista estava a ocupar-se de oito pacientes, um após o outro, como numa linha de montagem”.

“Jean-Pierre foi supervisionado por um estagiário, que mais tarde admitiu no tribunal: ‘Não estava à altura da tarefa que me foi confiada’.

“Como não era uma operação vital e que o hospital estava em greve, faltavam médicos e essa anestesista ocupava-se de oito pacientes, em dois quartos diferentes, alguém deveria ter-me ligado para dizer que tinham de adiar a operação. “

Infelizmente – acrescentou ela durante a entrevista à CNN – isso nunca aconteceu, e Adams sofreu uma paragem cardíaca quando um tubo lhe foi colocado bloqueando os seus pulmões.

Bernadette acrescentou: “Encontrei-o deitado numa cama, com tubos por todo o lado. “Fiquei cinco dias sem sair do hospital. Achei que ele fosse acordar e que eu precisava estar lá.”

Jean-Pierra Adams, tinha então 34 anos e nunca mais acordou. Até à sua morte, teve sempre ao seu lado a companhia e os cuidados da esposa, Bernardette, com quem estava casado desde abril de 1969 e que decidiu dedicar os últimos quarenta anos da sua vida a cuidar dele.

Jean-Pierre Adams: Faleceu um dos grandes africanos do futebol francês
Jean-Pierre Adams: Faleceu um dos grandes africanos do futebol francês

“Não me arrependo”, disse ela à imprensa francesa há dois anos. “Foi a melhor solução. Se eu não o tivesse levado comigo, acho que não estaria aqui hoje, dada a condição em que o encontrei”, disse ela.

Adams tinha acabado de se tornar treinador do Dijon quando decidiu fazer uma avaliação do joelho no Hospital de Lyon.

Depois de uma batalha de sete anos nos tribunais, os médicos do hospital foram considerados culpados de lesões involuntárias.

O Nimes e o PSG que perderam um dos seus mais gloriosos ex-jogadores, ofereceram as suas condolências aos familiares e amigos.

Nascido na capital senegalesa, Dacar, a 10 de março de 1948, Jean-Pierre Adams, chegou a França ainda muito jovem, aos 8 anos, para acompanhar uma avó senegalesa.

O futebol permitirá que realize os seus sonhos ao jogar no Nîmes Olympique (1970-1973), Nice (1973-1977), Paris SG (1977-1979) e já no final da sua carreira no FC Chalon.

Jean-Pierre Adams que também tinha nacionalidade francesa, jogou 22 vezes pela seleção gaulesa, durante a década de 70.

Grande defesa central, foi companheiro de equipa no Nimes e na seleção francesa dos anos setenta, do não menos “grande”, o antilhano Marius Trésor.

Por serem quase intransponíveis e Negros, a dupla ficou conhecida com o lendário nome de “A Muralha Negra”, em homenagem, carinhosa, às qualidades defensivas de ambos.

Marius Trésor expressou uma tristeza imensa após este desaparecimento e disse o seguinte ao saber da morte do amigo e antigo companheiro de seleção: “No entanto, eu acho que a morte do meu amigo pôde ter sido sinônimo de libertação, para quem está próximo, esperando, há mais de 39 anos, um desfecho feliz … que nunca aconteceu”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.