Lewis Hamilton apoia jovens estilistas negros

Sir Lewis Hamilton – o único piloto negro da Fórmula 1 e vencedor de 7 campeonatos do mundo – pagou a entrada de vários jovens “designers” negros, emergentes, para comparecerem no Met Gala 2021, que teve lugar no Metropolitan Museum of Art, em Nova Iorque, na segunda-feira, 13 setembro 2021.

O gesto de Hamilton enquadra-se no esforço para chamar a atenção para o talento negro, segundo o artigo do magazine Elle. O baile do Met, ou gala do Met, é o equivalente mundial da moda aos Óscares. É uma noite em que “designers”, modelos e estrelas de Hollywood se reúnem para comemorar e arrecadar fundos para uma nova exposição de moda no Instituto de Trajes do Metropolitan Museum of Art em Nova Iorque.

Normalmente, todos se vestem de acordo com o tema e de acordo com a sensação da exposição; temas anteriores incluíram religião, o movimento punk e muito mais.

O 2021 Met Gala que teve este ano o formato de uma gala íntima, mais reduzida, devido à pandemia.

O piloto de Fórmula 1 pagou três designers – Theophilio, Kenneth Nicholson e Jason Rembert – para se sentarem à sua mesa com outros inovadores negros, incluindo o estilista de Zendaya Law Roach, Alton Mason, Kehlani e os atletas Miles Chamley-Watson e Sha’Carri Richardson.

Segundo o magazine Elle, acredita-se que uma entrada individual para o Met Gala 2021 custasse aproximadamente 30.000 dólares, enquanto os designers pagam, pelo menos, 275.000 dólares por mesa.

Ao explicar o seu gesto o piloto britânico disse à Vogue: ‘O Met é o maior evento de moda do ano e, para esse tema, eu queria criar algo que fosse significativo e gerasse comentários e conversas para que, quando as pessoas nos vissem todos juntos, ficassem com esses designers negros no topo das suas mentes.”

Ainda segundo o mesmo magazine houve uma clara falta de representação artística americana no tapete vermelho, nomeadamente as criações de “designers” negros como Kerby Jean-Raymond da Pyer Moss, LaQuan Smith e Claude Kameni, que figuram na exposição deste ano doMetropolitan Museu of Art.

Mais tarde, Hamilton partilhou no Instagram, uma foto dele com a mesa repleta de talentos negros e colocou a legenda na postagem: ‘Pura magia na noite passada. Esses designers – @ kenneth.nicholson, @theophilio, @jasonrembert – merecem este momento tanto quanto qualquer outro designer que vai ao Met Gala.

‘O objetivo é, e sempre será, abrir portas para jovens negros criativos”, disse Hamilton que há muito tem vindo a manifestar a necessidade de celebrar o talento negro, combater o racismo e também a necessidade de consequências mais graves para aqueles que abusam racialmente de outras pessoas, a fim de promover uma sociedade diversificada.

Recorde-se que em 2019, Hamilton criou a Comissão de Hamilton, em sintonia com a Royal Academy of Engineering, que trabalha para lidar com a sub-representação de negros no automobilismo do Reino Unido e no setor das STEM (um diminutivo para Ciências, Tecnologia, Engenharia, Matemáticas).

Para quem segue a fórmula 1, no início deste ano (2021), ele elogiou a A FIA (órgão regulador da F1) por condenar o abuso racista online de que ele, tinha sido vítima após o Grande Prémio da Inglaterra.

‘Senti pela primeira vez que não estava sozinho neste desporto’, disse ele sobre o apoio que recebeu na altura e acrescentou: “Durante todos estes anos que tenho corrido, ninguém jamais disse nada sobre isso. Quando o mesmo acontecia antes, ninguém disse nada. Por isso, foi realmente incrível ver os passos que já foram dados.”

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.