Línguas maternas e tecnologia.

O Dia Internacional da Língua Materna (IMLD) 2022 que visa contribuir para alcançar o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável 4, foi comemorado, nesta terça-feira, 21 de fevereiro 2022.

Esta efemeridade tenta também lembrar ao mundo o reconhecimento do papel dos professores na promoção do ensino e aprendizagem multilingues através da tecnologia.

Um recente inquérito da UNESCO, UNICEF, Banco Mundial e OCDE sobre as respostas da educação nacional ao encerramento de escolas devido à Covid-19 em 143 países mostrou que apenas 58% dos países de baixos rendimentos forneciam aprendizagem à distância através de plataformas online para, pelo menos, um nível de educação.

A maioria destes países relatou a utilização de meios de difusão como a televisão (83%) e a rádio (85%) para implementar o ensino à distância.

A África parecia ser o continente mais ativo nos esforços para impulsionar quer a televisão quer a rádio (70%), alguns combinando ambos (34%).

Durante o encerramento de escolas devido à pandemia, muitos procuraram soluções de base tecnológica para manter a continuidade da aprendizagem. No entanto, a falta de prontidão e de competências provou ser um obstáculo significativo ao ensino à distância.

Além disso, o ensino à distância, ferramentas de aprendizagem, programas e conteúdos foram em grande parte fornecidos em línguas oficiais ou dominantes nacionais ou internacionais.

O ensino ministrado numa língua materna é uma componente chave da inclusão e a tecnologia tem hoje o potencial de derrubar as barreiras educativas.

A localização (processo de adaptação de um produto a um país, região ou área específica) inclui a tradução e adaptação cultural de interfaces de utilizador e aplicações de software.

Torna as tecnologias de informação e comunicação mais acessíveis às populações dos países mais pobres, aumentando a sua relevância para as suas vidas, necessidades e aspirações, e finalmente colmatando a “fratura digital”.

Parte da maior conversação global, por assim dizer, para preservar o precioso património local, cultura e sabedoria, a aprendizagem multilingue procura também reconhecer e validar estes valores em indivíduos, particularmente crianças, para que possam continuar a ver-se não como almas divididas ou forasteiros, mas sim como membros plenos das suas comunidades.

Que achas disto? É bom promover-se as línguas maternas? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

Imagem: Trabalho derivado
© 2022 Francisco Lopes-Santos
© 2014 Agrupamento de Escolas de Eixo
close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.