Luanda: incentivos fiscais para gerar emprego.

“O trabalho da consolidação fiscal continua para se obter a melhor a performance da receita fiscal e da qualidade da despesa, colocando no mercado incentivos para que tenhamos crescimento económico, com vista à geração de postos de emprego”, advertiu a ministra angolana das Finanças.

Angola acolheu, com agrado, a classificação das Agências de Rating Standard and Poor’s, Fitch Ratings e Moody’s ao manter a perspetiva estável da nota de risco do país, ou seja, ao processo de reformas económicas, promovido por Luanda.

Ao reagir à classificação da Moody’s, Vera Daves enfatizou que o Governo vai continuar a trabalhar na consolidação fiscal para a melhor performance da receita fiscal.

A governante esclareceu que Angola tem pautado por uma postura bastante conservadora, com processo de endividamentos, assim como a da contratação de novos financiamentos, para que a divida se mantenha na rota de sustentabilidade, assegurando um serviço compatível com a sua capacidade de pagar.

Embora das Agências de Rating Standard and Poor’s, Fitch Ratings e Moody’s tenham dado nota positiva Angola, Vera Daves referiu que as autoridades angolanas vão continuar a trabalhar com organizações internacionais (FMI e BM), atendendo o compromisso que têm com estas duas instituições financeiras.

A titular da pasta das Finanças calculou, também, que a desempenho da receita não petrolífera exerceu um papel fundamental, não obstante o preço de o petróleo estar a ter uma performance positiva no mercado internacional.

Outrossim, tem a ver com a execução de despesas, que, segundo Vera Daves, o país conseguiu fazer a sua execução de despesas sem uma deterioração nas suas contas públicas superior àquela com as despesas do petróleo.

A estabilização macroeconómica, a cambial, o aumento das reservas internacionais líquidas e desempenho fiscal de Angola, não obstante a crise financeira e pandêmica que o país esteve submetido, foram, ainda, citadas como uma das razões da Moody`s, pela ministra Vera Daves.

  • licenciando em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Jean Piaget de Angola (UNIPIAGET). Já trabalhou para vários órgãos locais. Atualmente é um dos correspondentes da Rádio France Internacional (RFI), em Angola e agora, também nosso Jornalista correspondente em Angola.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.