O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) apoiará o Mali na criação de Zonas Especiais de Processamento Agroalimentar (ZSTA) nas grandes bacias de produção das regiões de Ségou, Sane, Koulikoro e Sikasso para melhorar os seus investimentos anteriores e criar mais valor agregado, empregos decentes e sustentáveis ​​para mulheres e jovens.

Num comunicado de imprensa publicado em 27 de abril 2021, a instituição previu que o Mali deveria, assim, ter um aumento no número de PMEs e PMIs criadas em cadeias de valor agrícolas, de 5 em 2021 para 20 em 2025. “A proporção de empregos femininos (diretos e indiretos) criados, até então insignificantes, devem chegar a 35% nessas cadeias de valor em 2025 ”, segundo a mesma fonte.

Além disso, os investimentos serão direcionados para infraestruturas como o desenvolvimento de três zonas especiais em Bamako, Ségou e San e a construção de 25 centros de processamento agrícola nas grandes bacias de produção rural ”, anuncia o BAD.

De acordo com a instituição sediada em Abidjan, a participação do setor agroalimentar no produto interno bruto no período deve aumentar de 3,3% para 5%, o tempo de trânsito de um camião de carga na fronteira entre a Costa do Marfim e o Mali deveriam passar de 24 horas para apenas 3 horas, e a percentagem nacional de acesso à eletricidade deveria aumentar de 50% para 65% e de 21,1% para 31% nas áreas rurais.

Quanto ao contributo das energias renováveis ​​no abastecimento total de energia, o BAD prevê que aumente, de 23,3% para 35,5% entre 2021 e 2025 e acrescenta que serão criadas cerca de 130 vagas para mulheres em projetos de energia em 2025 (em comparação com zero em 2021), os empregos criados nos transportes aumentarão percentualmente para os jovens (de 0% para 80%) e para as mulheres (de 0% para 10%).

Pela redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome