Embaixador do Marrocos no Brasil avalia que negociações bilaterais são mais relevantes do que um futuro acordo de livre comércio com o Mercosul

Fortalecer o relacionamento bilateral com o Brasil é mais importante do que retomar as negociações para um acordo de livre comércio com o Mercosul (bloco económico formado pelo Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai), disse Nabil Adghoghi, embaixador do Marrocos no Brasil, numa entrevista ao Mercados Africanos.

Acho muito mais importante voltar ao relacionamento bilateral.

Considero que o marco jurídico Marrocos-Brasil, se a gente conseguir fortalecer com logística marítima, com uma atividade logística muito mais ampla, se conseguirmos ter uma maior presença do agronegócio brasileiro no mercado marroquino para maquinários agrícolas, por exemplo, ou o ‘know how’ da Embrapa no Marrocos, acho que isto vai ter um impacto muito mais positivo do que um acordo de livre comércio  Mercosul-Marrocos onde é muito difícil, hoje em dia, identificar o impacto direto sobre as economias do Mercosul”, argumentou Adghoghi.

O embaixador marroquino lembrou que o governo de seu país e o Mercosul começaram a negociar um marco geral para um acordo de livre comércio em 2004, há 17 anos.

Depois tentamos recomeçar as negociações técnicas, em 2008, mas elas pararam. Quando cheguei aqui, há 4 anos, o Presidente do Brasil da época, Michel Temer, recebeu as minhas credenciais diplomáticas e perguntou-me sobre o futuro deste acordo. Eu contatei minha capital que enviou uma delegação, retomaram as negociações técnicas, mas até agora este acordo não surgiu”, contou.

Na avaliação do diplomata, o acordo de livre comércio com o bloco sul-americano não foi estabelecido porque no Brasil e no Marrocos, por exemplo, ainda não há interesse suficiente do setor privado.

Até agora este acordo não surgiu porque o setor privado marroquino ainda não avaliou o lucro, o que pode ter com este acordo e vice e versa. Também o setor privado brasileiro, fora o agribusiness, não vê, não tem um grande interesse no mercado marroquino“, disse.

Não adianta você assinar um acordo se não houver um impacto direto no fluxo comercial dos dois lados”, acrescentou.

 

Fluxo comercial entre o Brasil e o Marrocos cresceu em 2020

Segundo dados divulgados pelo Governo brasileiro, houve um crescimento de 25,8% na corrente comercial Brasil-Marrocos em 2020, que totalizou 1,7 mil milhões de dólares face o montante de 1,4 mil milhões de dólares registado em 2019.

As exportações marroquinas ao Brasil cresceram 17,4% no ano passado, totalizando 1,1 mil milhões de dólares.

Já as exportações brasileiras para Marrocos cresceram 43% em 2020 na comparação com 2019, totalizando 663 milhões de dólares.

Adghoghi fez questão de mencionar que o crescimento da corrente comercial ocorre num momento em que os dois países experimentam um relacionamento excelente do ponto de vista diplomático.

O embaixador acrescentou que este bom momento resultou numa série de acordos bilaterais assinados pelo Marrocos com o Brasil em 2019 numa viagem do ministro das Relações Exteriores do Marrocos, Nasser Bourita, ao país sul-americano.

Na ocasião, foram assinados tratados para estimular investimentos, acordos no setor de defesa e de prevenção de dupla tributação no transporte marítimo e aéreo.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.