Maurícias: Banco comercial “arrecada” mil milhões de dólares na emissão de títulos

O primeiro banco das Ilhas Maurícias – o Mauritius Commercial Bank (MCB) – saiu-se bem no mercado internacional de capitais e apesar dos detalhes da operação ainda estarem por ser divulgados, mobilizou nesta quinta-feira, 9 de setembro de 2021 mil milhões de dólares no mercado de capitais internacional, segundo uma comunicação conjunta do Abu Dhabi Commercial Bank, Citi, Intesa Sanpaolo, Mizuho Bank Ltd, Standard Chartered Bank (“SCB”) e SMBC Bank International plc.

O banco mauriciano precisava desses recursos para refinanciar um empréstimo anterior de 800 milhões de dólares contraído em março de 2019.

O banco esperava levantar no máximo 600 milhões de dólares, mas recebeu uma alta adesão que resultou numa oferta excedentária de 2,78 vezes mais do que a quantia desejada.

A operação assumiu a forma de 2 prestações, amortizáveis em 2 e 3 anos, respetivamente.

“O sucesso da transação é a prova do apoio dos mercados internacionais ao MCB, apesar das dificuldades encontradas tanto local quanto internacionalmente”, disse Alain Law Min, CEO do MCB, comentando a transação.

O Grupo MCB ainda não publicou os diversos relatórios para o exercício de 2021 encerrado em 30 de junho, embora em 2020, a dívida bancária reembolsável no espaço de um ano fosse de 43,5 mil milhões de rúpias das Ilhas Maurícias (mil milhões de dólares).

O banco não deu detalhes sobre as condições do empréstimo de 2019 que está a ser refinanciado, nem os dados em relação a este último empréstimo estão disponíveis.

O Mauritius Commercial Bank (MCB) faz parte do grupo com o mesmo nome e iniciou 2021 com um lucro líquido de 2,2 mil milhões de rúpias mauricianas nos primeiros três meses do ano, o que representou um aumento de 64% em relação ao mesmo período de 2020.

No seu último comunicado financeiro, o grupo indicou que pretendia mobilizar 43 milhões de dólares para fortalecer o capital da sua subsidiária bancária e apoiar a sua expansão no exterior.

“Olhando para o futuro, acreditamos que as nossas operações internacionais continuarão a ser resilientes e bem posicionadas para beneficiar das melhores perspetivas económicas globais, do avanço da implementação da imunização e da suspensão gradual das restrições nos principais mercados. O contexto operacional local deve, no entanto, permanecer difícil, o impacto do recente bloqueio deve ser moderado ”, explicou o Grupo MCB.

A entidade bancária que goza de boas relações com os seus credores é também uma boa aposta para o seu acionista de referência que é o governo das Ilhas Maurícias, através do fundo de pensões sob o seu controlo (National Pension Fund) e uma das subsidiárias da National Investment Company que é uma seguradora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.