Mauritânia deve 5 mil milhões de dólares, mais de 60% do PIB.

Recrutado em dezembro de 2020 para ajudar a Mauritânia a administrar sua dívida externa, o consórcio Franklin/Finexem – por um valor de 600 mil euros e um prazo de 6 meses – revelou que o nível de endividamento do país é de cerca de 5 mil milhões de dólares, ou seja, mais de 60% do PIB nacional, estimado em 7,4 mil milhões.

“A escolha da Mauritânia recaiu sobre a Franklin/Finexem pela sua perícia jurídica e financeira, o seu profundo conhecimento do país e a sua experiência no início de reestruturações com um impacto económico e social significativo”, afirmou o ministério da Economia da Mauritânia.

“Em relação ao serviço da dívida, o montante é de mais de 200 milhões”, segundo o gabinete Franklin/Finexem, que já iniciou a segunda fase da sua missão, que consiste em desenvolver para a Mauritânia a melhor estratégia de negociação de sua dívida externa.

A economia da Mauritânia foi e continua a ser fortemente afetada pela pandemia e o comércio em 2020, em relação a 2019, registou uma queda de 9%, os transportes uma diminuição de 3%, a atividade transformadora -4% e a pesca (segundo pilar da economia nacional) -5%.

No entanto, a Mauritânia pretende cumprir os critérios de elegibilidade definidos pelo G20 para renegociar a sua dívida com os seus credores, como fazem atualmente o Chade, a Zâmbia e a Etiópia.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.