O Embaixador da União Europeia (UE) em Maputo, António Sanchez-Benedito Gaspar, revelou ontem que Moçambique poderá voltar a exportar os seus principais produtos agrícolas para o mercado da organização, livres de quotas, impostos e taxas aduaneiras.

O diplomata deu a informação à margem da vigésima nona sessão do diálogo político entre o Governo da República de Moçambique e a União Europeia, que na cidade de Lichinga, capital provincial do Niassa, na região norte do país.

Na ocasião, António Sanchez-Benedito Gaspar prometeu trabalhar para que os benefícios das operações de exportação para os países do bloco europeu sejam extensivos aos agentes económicos nacionais.

Disse ser uma decisão que se enquadra na estratégia da UE de incrementar o volume de cooperação com Moçambique, para impulsionar o seu crescimento económico, inclusivo e sustentável.

Para tal, segundo explicou, a estratégia inclui outras áreas que são consideradas pilares para o desenvolvimento, nomeadamente educação, formação técnico-profissional, empoderamento da juventude, mudanças climáticas, biodiversidade e ambiente.

O diálogo político entre o Governo da República de Moçambique e a União Europeia conta com a participação da ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Verónica Macamo Dlhovo, e 14 embaixadores de países da União Europeia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.