Nigéria: 1,9 mil milhões de dólares em energia.

Para reduzir o déficit de energia a Nigéria lançou a Iniciativa de Energia Presidencial, que visa, entre outras coisas, aumentar a capacidade de geração nacional de 5.000 MW para 25.000 MW até 2025.

A Nigéria vai investir 1,9 mil milhões de dólares na compra de equipamentos para o setor de energia, informou a ministra das Finanças, Zainab Ahmed, informou antes do final de 2021, que acrescentou que o Conselho de Ministros tinha aprovado o envelope financeiro.

Este projeto, que faz parte da Fase 1 da Iniciativa Energética Presidencial (PPI), contará com o apoio da African Finance Corporation (AFC), (Sociedade Financeira Africana), na qualidade de assessor financeiro.

Embora se espere que o PPI aumente a capacidade de geração de energia da Nigéria para 25.000 MW, até 2025, o investimento chegará para uma capacidade aumentada de 7.000 megawatts.

“O objetivo é conseguir melhorar muito rapidamente a disponibilidade e a capacidade de produção de energia elétrica no país”, sublinhou a ministro.

Deve-se lembrar que a Nigéria enfrenta um déficit energético significativo que, segundo o FMI, exigiria 49 mil milhões de dólares em investimentos até 2030.

Na Nigéria, quase metade da população não tem acesso à eletricidade e o resto sofre frequentes cortes de energia.

Aumentar a capacidade de produção de energia renovável pode ser uma solução, já que o país tem um enorme potencial solar e eólico.

Segundo o antigo presidente da Nigéria Olusegun Obasanjo, a maior economia do continente africano pode ser autossuficiente em energia a partir de fontes renováveis.

“A meta de produzir eletricidade da Nigéria a partir de energias renováveis ​​é alcançável, acessível e transformadora”

Disse Obasanjo, instando o governo federal a desenvolver ainda mais a capacidade nacional de geração de energia solar e turbinas eólicas.

Na recente COP 26, em Glasgow, o país já se comprometeu a atingir a neutralidade de carbono em 2060, ao mesmo tempo que insiste no papel fundamental que o gás terá de desempenhar nesta fase de transição.

Um avanço notável para a maior economia da África, que se manteve firme contra uma política ocidental injusta que a privou do seu carvão a fim de reduzir um déficit de energia alarmante, enquanto outros países continuam a usá-lo.

Com mais de 800 km de costa e sol que dura várias horas por dia durante a maior parte do ano, a Nigéria tem recursos consideráveis ​​para desenvolver energia solar e eólica.

Embora exporte parte de sua produção doméstica para estados vizinhos como Camarões, o país também enfrenta cortes de energia que custam ao país 28 mil milhões de dólares anualmente, de acordo com o Banco Mundial.

 

O que achas disto? Estes investimentos em energia são frutuosos? Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.