Noruega e Dinamarca investem em cimento.

Após a saída em Janeiro de 2021 da Lafarge Africa do capital da Continental Blue Investments Ghana, a produtora de cimento ganesa consegue dois investidores institucionais na sua procura de financiamento com o fim de aumentar a produção para o mercado local.

O fundo de investimento norueguês para países em desenvolvimento Norfund co-investiu com o fundo dinamarquês IFU, um montante de 27,9 milhões de dólares na Continental Blue Investments Ghana (CBI), um dos cinco produtores de cimento do Gana.

A iniciativa visa apoiar a produção local de cimento da CBI. Dos 27,9 milhões investidos, a dinamarquesa IFU forneceu 7,5 milhões.

“Estamos muito satisfeitos em fazer parceria e apoiar a equipa de gestão da CBI, o seu Conselho de Administração e os atuais investidores”.

“esperamos trabalhar ativamente com todas as partes interessadas e co-investidores para apoiar este empreendimento num setor essencial para o desenvolvimento”.

Disse Naana Winful Fynn, Diretora Regional para a África Ocidental da Norfund.

Este investimento conjunto surge mais de um ano após a saída da Lafarge África do capital da CBI, em Janeiro de 2021.

O novo investimento apoiará os planos de desenvolvimento da CBI que preveem triplicar a sua produção de cimento nos próximos anos e expandir a sua presença nas regiões mais carentes do Gana, aumentando a produção de 555.000 toneladas para 1,4 toneladas métricas por ano.

A CBI Ghana espera um retorno financeiro e ambiental do investimento, através da redução das emissões de CO2, economia de energia e redução dos custos de importação do clínquer, insumo utilizado na produção de cimento.

 

O que achas da aposta do Gana nesta área? E deste investimento na produção de cimento? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

Imagem: © 2022 Continental Blue Investments
close
pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.