Os africanos que ganharam o Nobel da Paz (III)

Desde o início do Prémio Nobel da Paz em 1901, houve vários premiados africanos selecionados pelo Comité Nobel da Noruega. Numa serie de artigos, do qual este é o terceiro, recordamos os africanos que foram premiados.

O Prémio Nobel da Paz é um dos cinco prémios internacionais anuais concedidos em várias categorias em, avanços académicos, culturais e ou científicos.

Neste terceiro artigo lembramos as três mulheres africanas distinguidas com o Nobel:

 

Wangari Maathai, Quénia, 2004

Wangari Maathai, Quénia, Prémio Nobel da Paz, 2004
Wangari Maathai, Quénia, Prémio Nobel da Paz, 2004

Wangari Maathai, ambientalista e fundadora do Green Belt Movement, recebeu o Prémio Nobel da Paz em 2004 pela sua contribuição para o desenvolvimento sustentável, a democracia e a paz.

O comitê do Nobel reconheceu os seus esforços e consideraram-na uma inspiração para muitos na luta pelos direitos democráticos e, especialmente, um incentivo para as mulheres. Nascida em 1940, Wangari Maathai foi a primeira mulher africana a receber o Prémio Nobel da Paz.

 

Ellen Johnson Sirleaf, Libéria, 2011

Ellen Johnson Sirleaf, Libéria, Prémio Nobel da Paz, 2011
Ellen Johnson Sirleaf, Libéria, Prémio Nobel da Paz, 2011

A primeira mulher a ser eleita presidente da Libéria recebeu o Prémio Nobel da Paz em 2011 ao lado da ativista pela paz Lymah Gbowee e Tawakkol Karman por sua luta não violenta pela segurança e direitos das mulheres à plena participação no trabalho de construção da paz.

Sirleaf foi eleita presidente da Libéria em 2005, apenas dois anos após o fim das sangrentas guerras civis que devastaram o país por mais de uma década. Como a primeira mulher a ser eleita democraticamente em África, ela trabalhou para promover a paz, a reconciliação e o desenvolvimento social e econômico.

 

Leymah Gbowee, Libéria, 2011

Leymah Gbowee, Libéria, Prémio Nobel da Paz, 2011
Leymah Gbowee, Libéria, Prémio Nobel da Paz, 2011

Leymah Gbowee é uma campeã dos direitos das mulheres e recebeu o Prémio Nobel juntamente com a Sirleaf Johnson.

Durante a guerra civil que assolou a Libéria, Gbowee convocou mulheres de diferentes grupos étnicos e religiosos na luta pela paz.

Vestidas com camisetas brancas, eles fizeram demonstrações diárias no mercado de peixes em Monróvia.

Depois de ter alavancado recursos financeiros, liderou uma delegação de mulheres liberianas ao Gana para pressionar as fações em conflito durante o processo de diálogo de paz.

Isso desempenhou um papel decisivo no fim da guerra.

Gbowee também trabalhou para ajudar aqueles que sofreram traumas psicológicos durante a guerra civil na Libéria, incluindo as crianças-soldados.

Os africanos que ganharam o Nobel da Paz (I)

Os africanos que ganharam o Nobel da Paz (II)

Os africanos que ganharam o Nobel da Paz (IV)

close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.