Paylend uma start-up do Quénia para apoiar as PME africanas

Fundada em 2019 por Bendon Murgor e Eliutherius Juma, a “Paylend “ está a ajudar a digitalizar o manual de registo de dados tradicionalmente utilizado pelas PME, segundo artigo da Disrupt Africa.

“A perda do livro ou a adulteração de registos torna-se uma fonte de conflito, levando a más relações comerciais e a uma enorme perda de receitas. Este é o maior problema que o “Paylend “ pretende resolver”, disse Juma a Disrupt Africa.

A maioria das PME em África têm dificuldades de crescimento devido ao registo deficiente das suas transações diárias. Identificámos uma cultura que existe no mercado africano onde os lojistas dão crédito aos seus clientes, que reembolsam no prazo de uma semana ou um mês.

As lojas registam estas transações em papel, uma prática que é aborrecida e volumosa. Paylend pretende digitalizar este processo e adicionalmente adicionar as transações de pagamento em dinheiro da loja, permitindo que as lojas compreendam o seu valor real e tenham uma oportunidade de expansão, aproveitando dados precisos.

Com o Paylend, os proprietários das empresas podem aceder à documentação apropriada das transações, permitindo-lhes ser bancáveis e dando-lhes um método avançado de gestão de crédito.

“O Paylend é mais uma ferramenta complementar do que uma ferramenta competitiva para os outros produtos financeiros, uma vez que fornece dados que podem ajudar outros interessados a tomar decisões sábias e conduzir mais negócios no seu fim”, disse Juma.

“Por exemplo, tirando partido dos dados do Paylend, os bancos podem ser capazes de identificar potenciais lojas para oferecer empréstimos. Além disso, as companhias de seguros podem criar apólices para oferecer seguros para os créditos que as lojas dão aos seus clientes a uma taxa mensal”, acrescentou ele.

No seu mercado doméstico do Quénia, a startup tem mais de 6.500 clientes a aceder a bens e serviços.

“Planeamos expandir para a Nigéria, Tanzânia, África do Sul e Zâmbia. Já estamos a realizar inquéritos na Tanzânia e na Nigéria em preparação para um teste no último trimestre de 2021. No final de 2022, a Paylend estará operacional em três mercados diferentes – Quénia, Tanzânia e Nigéria”, sublinhou Juma.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.