Pedro Sànchez chegou ao Senegal, vindo de uma visita de um dia a Angola, dominada pelo aumento dos investimentos espanhóis no país, tal como Mercados Africanos noticiou.

No Senegal o tema foi outro: a emigração de jovens senegaleses para Espanha, cujo o conteúdo das conversações entre o Presidente da República do Senegal, Macky Sall e o Presidente do Governo espanhol foram divulgadas nesta sexta-feira, 9 de abril, durante uma conferência de imprensa conjunta, no final da visita de um dia ao Senegal do dirigente espanhol.

Os dois líderes falaram sobre diversos temas, inclusive migração, e anunciaram a consolidação das relações bilaterais, por meio do fortalecimento do comércio. Uma convenção chamada “migração circular” acaba de ser assinada neste contexto.

O Presidente da República do Senegal, Macky Sall, disse que o Senegal não pode ficar de braços cruzados enquanto os seus filhos morrem no mar, tentando chegar à Espanha.

Por isso, pede a consolidação da parceria dos dois países, através de políticas migratórias concretas.

“A Espanha precisa de empregos e pessoas. Essa força de trabalho pode ser organizada por meio de uma convenção chamada “migração circular”. Já criei uma equipa de trabalho no Ministério do Interior, que inclui o Ministério da Juventude, o Ministério das Relações Exteriores, o Ministério da Agricultura, para selecionar com base nas especificações concretas os jovens voluntários prontos para ir à Espanha, por um período determinado, no respeito pelos seus direitos e pela sua dignidade ”, sublinhou o presidente senegalês.

Macky Sall acrescentou que “depois da temporada de trabalho, esses jovens voltam. Veremos como, quando eles voltarem, lhe daremos perspetivas para que tenham um emprego, a tempo integral ”.

O chefe de Estado senegalês informou ainda que mais de 65 mil postos de trabalho serão criados de imediato através da promoção do empreendedorismo dos jovens em particular, da formação profissional e da cooperação.

É importante sublinhar a forte comunidade senegalesa que vive em Espanha e que aí trabalha em condições dignas.

«A nossa ação consiste em consolidar esta conquista no âmbito de uma convenção que acaba de ser assinada, por sua vez confirmou o Presidente do Governo espanhol. Devemos dar a oportunidade e abrir as perspetivas de uma migração regular que seria benéfica para ambos os países ”, disse Pedro Sànckez.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome