Plataformas de pagamento na vanguarda da transformação africana

Como Mercados Africanos tem vindo a noticiar e analisar ao longo dos últimos meses, o mercado de telecomunicações será um dos sectores-chave de crescimento económico da África subsaariana na recuperação pós pandemia, graças a um aumento da cobertura 3G e 4G e aos avanços iniciais na cobertura 5G assim como uma maior capacidade de penetração de smartphones a custos mais baixos e com facilidades de pagamento.

Durante os confinamentos sucessivos assistimos a um número crescente de parcerias entre operadores de telecomunicações e bancos ou outros provedores de servicos financeiros.

Os prestadores de serviços também se interessaram ao mercado de remessas dos emigrantes africanos e vários acordos foram assinados com bancos para facilitar esses envios diretamente nos seus telemóveis.

Durante a pandemia não nos surpreendeu a ansiedade dos bancos para lançarem serviços inovadores a fim de ganharem não só uma parte do mercado de transferência de dinheiro baseado na telefonia movel, mas também “ofereceram” serviços de pagamento de contas, bens e serviços por telemóvel.

A pandemia criou oportunidades enormes e os bancos e as empresas de telecomunicações uniram-se para conquistar esse mercado e permitiram acesso bancário a indivíduos sem-banco, com a abertura de contas bancária através dos telemóveis.

O Covid-19 fez o mercado de telefonia móvel em Africa, em geral, tornar-se cada vez mais lucrativo também devido ao facto de que os consumidores digitais através do “e-commerce” ganharam cada vez mais importância durante os confinamentos o que fez dar um salto no uso dos smartphones.

Ligado à pandemia também estão avanços na tecnologia financeira (Fintech na sua sigla em Inglês). Por exemplo vários bancos forneceram aos seus titulares de contas, detentores de um SIM card, um “slimline”, que pode ser colocado em cima dos cartões SIM, o que permite aos seus clientes manterem os seus números de telefone e serviços existentes e permite ao banco aceder ao menu do telemóvel e garantir assim a segurança das transações deste serviço bancário chamado “ rede móvel virtual”.

Os confinamentos levaram a que houvesse cada vez mais empresas em África a utilizar meios de pagamento por telemóvel e houve um aumento na utilização de pagamentos eletrónicos em vez de líquido.

Assim, nem tudo foi negativo nesta pandemia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.