PR de Angola em visita de Estado a Cabo Verde.

João Lourenço, iniciou no passado domingo, uma visita de Estado a Cabo Verde, acompanhado da Primeira-Dama, Ana Dias Lourenço, e de uma delegação que inclui ministros e altos funcionários. A visita foi prolifera e terminou hoje quarta-feira, 16 de Março de 2022, depois de uma serie de acordos e compromissos importantes.

 

O Programa

No programa estava incluído uma sessão especial do Parlamento, na capital cabo-verdiana, a convite do presidente da Assembleia Nacional, Austelino Correia, a deposição de uma coroa de flores no Memorial Amílcar Cabral, a visita à sua fundação e o encontro com o Primeiro-Ministro de Cabo Verde, José Ulisses Correia e Silva.

No entanto, o ponto alto foi o encontro privado entre os dois chefes de estado que declararam no final uma série de decisões substanciadas, na assinatura de quatro instrumentos jurídicos que surgem, entre outros, para fortalecer as relações económicas e beneficiar ambos os países.

 

A cooperação económica

Depois do encontro presidencial os presidentes de Cabo Verde e Angola reafirmaram na segunda-feira, 14 de Março de 2022, o reforço da cooperação económica que vai muito para além do sector dos Transportes, Marítimos e Aéreo.

João Lourenço disse que:

“Angola tem muito a ganhar se cooperar com Cabo Verde no domínio do Turismo, Comércio e Administração Pública”.

Por seu lado José Maria Neves, assinalou a necessidade de mais investimentos nas relações económicas empresariais entre os dois países e que Cabo Verde vai desenvolver Agricultura em Angola com foco na exportação

O Presidente João Lourenço, confirmou que estão em curso negociações de cedência de terras para que Cabo Verde possa desenvolver Agricultura em Angola “com fins de exportação”.

No respeitante às autarquias e segundo João Lourenço Angola vai aproveitar a vasta experiência e conhecimento de Cabo Verde para a implementação do poder autárquico” que está cada vez mais próximo de se tornar uma realidade”.

 

Os acordos

Ainda durante a visita, foi efectuado um acordo de Proteção de investimentos que vai conferir maior dinâmica no desenvolvimento da cooperação económica entre os dois países e permitirá aos empresários de ambos identificarem mais oportunidades de investimento.

Também foi estabelecido um Acordo Bilateral sobre os Serviços Aéreos, onde se destaca a disponibilização pelo Estado angolano, em formato leasing, de um Boeing 737-700 aos TACV que deverá chegar a Cabo Verde nos próximos dias.

 

A visita ao Mindelo

Na visita ao Mindelo, João Lourenço, recebeu, a título simbólico, das mãos do presidente da Câmara, Augusto Neves, a chave da cidade.

Ao discursar na cerimónia, Chefe de Estado angolano agradeceu ao povo da Ilha de São Vicente a distinção recebida e prometeu retribuir o gesto nas próximas visitas.

“Esta distinção é uma oportunidade que me dão, de vir pagar uma dívida, pois, ao longo dos anos, enquanto político e amigo do povo irmão de Cabo Verde, efectuei muitas visitas de trabalho a outras ilhas e cidades, mas nunca tive a oportunidade de passar por Mindelo”.

Enfatizou João Lourenço, acrescentado:

“Tenho muitos amigos cabo-verdianos em São Vicente, e sinto que tenho dívidas de nunca ter passado por essa cidade maravilhosa. Portanto, a oportunidade que me foi concedida pelo Presidente José Maria Neves, serve para vir pagar as dívidas e fazer as pazes com os são-vicentinos”, sublinhou.

No seguimento da visita, ao Mindelo, o Chefe de Estado angolano, visitou também a Universidade Técnica do Atlântico.

 

Medalha Amílcar Cabral

João Lourenço a receber a Medalha Amílcar Cabral de 1° Grau, a mais alta condecoração de Cabo Verde
João Lourenço a receber a Medalha Amílcar Cabral de 1° Grau, a mais alta condecoração de Cabo Verde

No seguimento da visita a Cabo Verde, João Lourenço, também foi condecorado com a Medalha Amílcar Cabral de 1° Grau, a mais alta condecoração do estado cabo-verdiano.

Durante o discurso de aceitação que decorreu na cidade do Mindelo, nesta terca-feira,15 de Março de 2022, João Lourenço começou por sublinhar que:

“Apraz-me dizer que me sinto profundamente honrado por estar a ser hoje agraciado com a mais elevada distinção do Estado Cabo-Verdiano”.

O Presidente de Angola, acrescentou que a mesma se enquadra:

“Num gesto de reconhecimento do papel que o povo angolano que aqui represento, desempenhou com profunda entrega no quadro da luta do Movimento de Libertação Nacional Africano, pela erradicação do regime do Apartheid na África do Sul e consequente libertação dos povos da África Austral”.

Ao referir-se a Amílcar Cabral, João Lourenço partilhou etapas significativas da história contemporânea do continente:

“É ainda maior a minha emoção por estar a partilhar este momento com os cabo-verdianos, que geraram um dos melhores filhos de África, um intelectual de craveira internacional, e com uma estatura profundamente humanista”.

“Um intelectual em quem nos inspiramos para a gesta libertadora em que nos envolvemos ao longo de décadas, na luta contra a dominação colonial em África”. 

A obrigação da liderança africana em continuar a obra dos a que dirigiram a libertação do continente foi expressa da seguinte forma:

“Somos partícipes da construção das nossas nações e herdeiros do legado de Amílcar Cabral, de Agostinho Neto e de outras ilustres figuras da história contemporânea de África”.

“Cabe-nos, por isso, a grande responsabilidade de sermos os continuadores da obra profundamente humanista que nos deixaram como herança e do patriotismo que lhes movia a cada instante das suas vidas”.

“Sem nos esquecermos, do sentido de justiça que impregnavam em todos os seus atos e do amor que nutriam pelos seus povos, pelos quais dedicaram grande parte das suas vidas, em prol do resgate da dignidade do homem africano”.

O Presidente angolano terminou o seu discurso de aceitação da condecoração máxima cabo-verdiana ao afirmar que:

“Estou em Cabo Verde para vos transmitir o sentimento de simpatia e de amizade que liga os nossos dois povos irmanados por uma história comum, pelo convívio salutar que se desenvolveu ao longo de décadas”.

“Convivio esse que se mantém até aos dias de hoje na relação fraterna e sempre amigável que se estabeleceu entre Angola e Cabo Verde”.

 

Conclusão

O ex-presidente de Cabo Verde, Pedro Pires, actualmente à frente da presidência da Fundação Amílcar Cabral, sublinhou que Amílcar Cabral é um símbolo “muito forte” das lutas de libertação nacional dos dois países, devido à cumplicidade, nas décadas de 50 e 60, e à colaboração entre os dirigentes Amílcar Cabral, Agostinho Neto, Mário Pinto de Andrade, Marcelino dos Santos, e outros.

Foi essa grande cumplicidade, entre eles que os levou a caminhar e a pensarem juntos a luta e a aventura pela independência e libertação dos dois países, como tal, considerou merecida a atribuição da medalha a João Lourenço, pois ela simboliza o passado de colaboração, de amizade, de história e de cooperação existente entre os dois países e os dois povos.

 

O que achas desta visita a Cabo Verde? E a condecoração recebida, foi merecida? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

Os Diamantes e a sua importância para Angola

Imagem: © 2022 Gabinete da Presidência de Cabo Verde
close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.