Putin quer pagamentos do gás em rublos.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou nesta quinta-feira, 31 de Março de 2022, um decreto que regulamenta o comércio de gás natural com países considerados “hostis”, como os Estados Unidos e todos os membros da União Europeia.

Segundo o governo russo, o texto entrou em vigor a partir desta sexta-feira 1º de Abril de 2022 e determina que empresas ocidentais abram contas correntes em rublos, em bancos russos, para comprar o gás do país.

“Ninguém nos vende nada de graça, e nós tampouco faremos obras de caridade. Isso significa que os contratos existentes, no caso de falta de pagamento em rublos, serão interrompidos”, afirmou Putin.

A Rússia fornece cerca de um terço do gás da Europa e esta medida é uma forma de retaliação contra os países que impuseram sanções económicas contra a Rússia incluindo o bloqueio de 300 mil milhões de dólares em reservas da Rússia no exterior – mas também é visto como uma tentativa de fortalecer o rublo num contexto de uma crise financeira profunda.

A decisão de impor pagamentos em rublos impulsionou a moeda russa, que chegou a cair para mínimas históricas após o início da guerra na Ucrânia a 24 de Fevereiro de 2022, mas que desde então tem vindo a recuperar.

Após o anúncio de Vladimir Putin, o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, disse que as empresas do país continuarão a pagar os seus contratos em euros.

“Analisámos os contratos e está escrito que o pagamento é em euros. Eu esclareci no telefonema com Putin que vai continuar assim”.

Disse o chefe de governo alemão, que conversou ontem com Putin.

Já o ministro da Economia de França, Bruno Le Maire, garantiu que:

“Não vamos aceitar de maneira nenhuma pagar pelo gás em outras moedas que não aquelas estipuladas em contrato”.

Afirmou ainda que o país já se está a preparar para uma interrupção do fornecimento do gás russo.

Por outro lado, se os Estados Unidos e o Reino Unido já anunciaram um embargo às importações de petróleo e gás russos, a União Europeia é mais dependente de Moscovo no plano energético e tem sido mais prudente.

Nesse sentido, está a trabalhar afincadamente em planos e projetos que possam torná-la autónoma em relação ao gás russo. Com esse objetivo, na semana passada, a UE fechou um acordo para aumentar as importações de gás natural liquefeito (GNL) dos Estados Unidos.

O presidente russo, reagiu a esse contrato entre a União Europeia e os EUA dizendo:

“Os EUA querem resolver seus próprios problemas às custas dos outros. Aproveitando-se das sanções, tentam fazer a Europa comprar o gás americano, que é mais caro”, declarou Putin. 

 

O que achas da decisão de Putin? Esta retaliação vai trazer problemas à importação do gás? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

Imagem: © Mikhail Klimentyev / AP
pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.