Após o acordo comercial de 2020, Londres e Nairobi querem fortalecer os seus investimentos privados.

Numa visita de três dias ao Reino Unido, o presidente Uhuru Kenyatta validou o lançamento do novo Centro Financeiro Internacional de Nairobi e garantiu um novo investimento de 184 milhões de dólares em setores-chave, como indústria e energia.

O Reino Unido deve investir 184 milhões de dólares no Quénia, segundo o anúncio feito nesta terça-feira, 27 de julho 2021, por Dominic Raab, Ministro das Negócios Estrangeiros do Reino Unido.

Este novo investimento vai financiar 10.000 unidades habitacionais sustentáveis ​​a preços acessíveis, e vai alavancar 39 milhões de dólares em investimentos privados na indústria de manufatura do Quénia por meio da iniciativa Manufacturing Africa do Reino Unido que tem por objetivo expandir a indústria.

O investimento vai também apoiar a energia solar não conectada à rede no oeste do Quénia, para fornecer acesso a 6.000 famílias quenianas com energia limpa. Soma-se a isso os investimentos para apoiar a transição do Quénia para a energia verde e o desenvolvimento da produção de carros elétricos.

Nos últimos meses, graças à saída do Reino Unido da União Europeia, Londres tem vindo a fortalecer, gradualmente, as suas relações com vários países africanos, nomeadamente os da parte Oriental do Continente.

O Reino Unido pretende fazer do Quénia a sua porta de entrada para as outras nações africanas.
O Reino Unido pretende fazer do Quénia a sua porta de entrada para as outras nações africanas.

O Reino Unido pretende fazer do Quénia a sua porta de entrada para outras nações da região. Para tal, um acordo comercial histórico foi assinado a 8 de dezembro de 2020, seguido em janeiro de 2021 por um acordo de defesa.

“Este conjunto de novos acordos entre o Reino Unido e o Quénia no valor de 184 milhões de dólares entre o governo e empresas do Reino Unido apoiarão o investimento na região”, disse o ministro Dominic Raab e acrescentou: “Isso criará novos empregos e abrirá novas oportunidades para empresas britânicas e quenianas, fortalecendo as relações entre Nairobi e Londres”.

Também foi assinado um acordo entre os dois países para o estabelecimento de um novo sistema alfandegário digital para o Quénia, o que “tornará mais fácil e rápido o transporte de mercadorias entre o Quénia e o Reino Unido, e entre o Quénia e o resto do mundo”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.