A start-up de seguros agrícolas do Quénia, Pula, conseguiu 6 milhões de dólares para financiar os seus planos de expansão em África e na Ásia, segundo apurou Mercados Africanos junto do diário queniano, Star.

Em comunicado de imprensa datado de esta segunda-feira, 25 de janeiro, Pula indicou que a montagem do financiamento foi liderada pela empresa pan-africana de capital de risco, TLcom Capital e contou com a participação da organização sem fins lucrativos Women’s World Banking.

Esta iniciativa visa principalmente financiar projetos no Quénia, outros países africanos e Ásia. “Com este financiamento, mais recente, chegou a hora de entrar em novos horizontes”, disse a cofundadora da Pula, Rose Goslinga, num comunicado, acrescentando que:

“Nos cinco anos desde o nosso lançamento, desenvolvemos uma forte marca para nossos produtos. No entanto, permanece o fato de que em África e em outros mercados emergentes, ainda existem milhões de pequenos agricultores cujos riscos para a sua subsistência não estão  cobertos. “

E acrescentou que em meio a uma pandemia global, os agricultores precisam de garantias agora mais do que nunca e, com isso em mente, é hora de crescer.

Fundada por Goslinga e Thomas Njeru em 2015, a empresa queniana opera em 13 países africanos, incluindo Ruanda, Etiópia e Nigéria.

Pula, baseada em Nairobi, oferece seguros agrícolas e produtos digitais para ajudar os pequenos agricultores a gerir os riscos climáticos e melhorarem as suas práticas.

Em 2020, Pula ganhou o prêmio InsurTech do Ano no sexto Prêmio de Seguro Africano anual em um evento em Lagos, Nigéria e já impactou mais de 4,3 milhões de agricultores no continente

Através de parcerias com bancos, governos e empresas de insumos agrícolas, Pula está no centro de um ecossistema que oferece um seguro e resseguro.

Maurizio Caio, sócio-gerente da TLcom Capital elogiou as atividades de Pula, dizendo que é uma honra trabalhar com a empresa, que está a a tender um mercado extremamente mal servido e um dos principais motores de crescimento em África e, com isso, uma grande oportunidade de apoiar o crescimento económico.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.