Ruanda: PIB cresceu 10,1% no 3° trimestre.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística de Ruanda, mais de 2,7 mil milhões de francos ruandeses (RWF) de riqueza foram produzidos no terceiro trimestre de 2021, ou seja um crescimento de 10,1% comparados com o terceiro trimestre de 2020 tinha sido de 2,453 mil milhões, segundo noticiou a agencia especializada Ecofin.

Isto significa que o nível do PIB nominal em Ruanda subiu de 2.453 mil milhões de francos ruandeses (RWF) em setembro de 2020, para 2.746 mil milhões de RWF em setembro de 2021.

Embora os serviços representem quase metade do PIB, é o setor industrial que experimentou o maior crescimento no período estudou.

De acordo com o relatório sobre “Produto interno bruto 2021 Q3” publicado pelo Instituto Nacional da Estatísticas do Ruanda, estas estimativas “calculadas de acordo com os valores de 2017 mostram que o PIB aumentou 10,1% em relação ao mesmo trimestre de 2020”.

De acordo com a instituição, a economia do Ruanda é impulsionada principalmente pelos serviços, com quase metade do PIB (48%). Este setor é seguido pela agricultura com 23% das participações e pela indústria que mobiliza 21% do PIB. Impostos e subsídios contam para os 7% restantes.

No entanto, no período avaliado, a indústria é o setor que experimentou o maior crescimento, com aumento de 12%. Isso elevou o PIB em 2,2% em pontos percentuais.

Este setor foi impulsionado principalmente pela fabricação de produtos não metálicos (32%), atividades extrativas (30%), produção de produtos químicos, borracha e plásticos (17%), construção (15%), atividades manufatureiras (7 %) e a produção de alimentos industrializados (6%).

A fabricação de produtos de metal, máquinas e equipamentos caiu 11% após aumentar 31% no terceiro trimestre do ano passado.

As atividades de serviços, por sua vez, ocupam o segundo lugar, depois da indústria. Graças ao aumento de 11%, o PIB deu um salto de 5,3 pontos percentuais.

Este sector é essencialmente impulsionado pelo comércio grossista e retalhista (4%), transportes (19%), informação e comunicação (14%) e educação que aumentaram 140% graças, em particular, à reabertura de escolas e universidades encerradas devido a covid19.

Finalmente, a agricultura impulsionou o PIB em 1,6 pontos percentuais graças a um aumento de 6%. A participação dos produtos alimentares aumentou 6% e a das exportações 2%.

Recorde-se que o Ruanda registou durante anos desempenhos recordes em termos de crescimento económico.

De acordo com o Ministério da Economia, o crescimento económico do país entre 2000 e 2018 foi em média de 8%.

Embora a pandemia tenha reduzido o crescimento de 9,5% em 2019 para -3,4%, segundo o FMI, uma recuperação robusta para 5,1% é esperada para este ano e depois para 7% no próximo.

Observe-se que no terceiro trimestre de 2021, o gasto total do consumidor cresceu 4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O crescimento do consumo final das administrações públicas foi de 28%, enquanto o das famílias diminuiu 1%.

“A formação bruta de capital aumentou 54%, enquanto as importações e exportações diminuíram 8% e 24%, respetivamente”, afirma o documento.

O que pensa sobre isto? O Ruanda estará na vanguarda africana ou será apenas “fogo de vista”? Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.