Foi inaugurada esta quinta-feira (03/12) a primeira fábrica de agua mineral de São Tomé e Príncipe, denominada ‘Aguas de Bom Sucesso’. Um investimento de empresários líbios, avaliado em mais de dois milhões de euros e com capacidade para produzir quatro mil garrafas de 1,5 litros por hora.

A fábrica ‘Águas de Bom Sucesso’ está instalada cerca de 20 quilómetros da capital, é um investimento iniciado em 2009 cujo objetivo é o abastecimento do mercado local e exportação para os países da África Central.

O projeto, financiados por empresários líbios, contavam inicialmente com apoio do governo do antigo presidente Mouhamar Khadafi, cujo assassinato levou a suspensão das obras.

Os vários anos de paralisação das obras de construção da fábrica levou o governo do ex-primeiro ministro Patrice Trovoada a colocar a infraestrutura em asta pública, uma medida contestada pelos empresários.

As obras continuaram suspensas por alguns anos, tendo o executivo do primeiro ministro Jorge Bom Jesus ameaçado vender a fábrica, caso os investidores não concluíssem as obras.

As pressões dos dois últimos governos do arquipélago obrigaram os empresários a retomar as obras e em junho ultimo, o primeiro ministro, Jorge Bom Jesus visitou as suas instalações e concluiu que a fábrica de agua mineral produzida em São Tomé “tem todas a condições para entrar em funcionamento”, tendo a sua inauguração sido agendada inicialmente pera vésperas de 12 de julho, dia da independência do arquipélago.

O chefe do governo de São Tomé considera Águas de Bom Sucesso como um daqueles “projetos de cabelos brancos” que “transvazam várias legislaturas”, finalmente inaugurado esta quinta-feira, deixado o primeiro ministro “agradavelmente surpreendido”.

“Vamos doravante poder beber água mineral do nosso país e não continuar a encher os barcos com contentores de água importada para vender no nosso mercado”, disse Jorge Bom Jesus.

“Estamos orgulhosos em poder anunciar que a fabrica de água Bom Sucesso começou a sua atividade de produção”, disse o empresário líbio Abdul Zareba.

“da mesma forma que nós comemos a banana produzida na nossa terra, da mesma forma que nós respiramos o ar da nossa terra, vamos também pela primeira vez beber a água mineral com o rotulo de São Tomé e Príncipe”, disse o primeiro ministro.

A fabrica está instalada na periferia da ex-empresa agrícola Monte Café, mas a água é captada em Bom Sucesso, a uma distância de sete quilómetros.

“O nosso objetivo é produzir uma água da alta qualidade e a um preço acessível para ser consumida por toda a população do país”, acrescentou o investidor líbio.

Os investidores preveem já um aumento de capital e o alargamento da fábrica com objetivo de levar a água mineral produzida em São Tomé e Príncipe a vários países do continente africano e mesmo europeu.

“A exportação é um objetivo, mas tudo deve ser feito com cautela, para manter a alta qualidade do produto, por isso o primeiro objetivo será abastecer o mercado local, depois a exportação”, referiu Zareba.

O chefe do executivo de São Tomé disse que o seu governo tem como “objetivo primário a atração do investimento privado estrangeiro” e quer que a primeira fábrica de água mineral do país sirva de “atração” a outros investidores.

“Queremos colocar a tónica no setor privado para que haja crescimento económico, por isso nós queremos encorajar outros investidores noutras áreas a seguirem este exemplo”, disse Jorge Bom Jesus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.