Senegal investe 74M dólares em mobilidade.

O governo senegalês continua a implementar o chamado Plano do Senegal Emergente (PSE), em particular a componente de transportes, que inclui a construção de infraestruturas para todos os modos de transporte.

Neste contexto o PSE conseguiu mais um financiador – o Banco Árabe para o Desenvolvimento Africano (BADEA) – para projetos rodoviários.

O ministro da Economia senegalês, Amadou Hott, e o diretor-geral do Banco Árabe para o Desenvolvimento (BADEA), Sidi Ould Tah, assinaram a 5 de março de 2022, dois acordos de empréstimo para projetos de infraestruturas de transporte.

Os empréstimos num montante total de 45 mil milhões de FCFA (74,6 milhões de dólares) representam o contributo da instituição para apoiar a implementação dos projetos denominados ”Programa de emergência de vias de acesso” e ”Plano de modernização da cidade”, ambos enquadrados no quadro do Plano do Senegal Emergente (PSE) 2014-2035.

O Programa de Estradas de Acesso de Emergência é um roteiro do governo que visa desenvolver o potencial económico das regiões agrícolas, pastoris e mineiras do país, fornecendo-lhes infraestrutura rodoviária.

As localidades visadas são principalmente no oeste do país, com Bambey – Baba Garage, Keur Samba Kane – Toubatoul e Diattar – Halwar como eixos principais a fim de facilitar o escoamento da produção e reduzir os custos de transporte.

O Plano de Modernização Urbana incorpora o projeto Promovilles, (Promoção das Cidades) que consiste no desenvolvimento viário em várias cidades, além de obras de iluminação pública e paisagismo.

A Fase 1, financiada em 2017 graças a um empréstimo de 114 milhões de euros do BAD, permitiu, segundo essa instituição pan-africana, “desenvolver 45,4 quilómetros de estradas, renovar 11,2 quilómetros e construir 21,6 quilómetros de estradas pavimentadas. Foram instalados 78 quilómetros de linhas elétricas para iluminação pública e 80 quilómetros de ruas”.

A Fase 2, para a qual o Banco Islâmico de Desenvolvimento (BID) também é anunciado como doador (por 123,5 milhões de euros), retoma trabalhos semelhantes em outros lugares.

Segundo o governo, o êxodo rural provocou nas décadas anteriores a rápida urbanização de certos distritos de Dakar e o nascimento de novas cidades.

Isso não foi feito de acordo com um plano de urbanização substancial, o que explica as necessidades de infraestrutura dessas áreas.

Para o BAD, este plano irá impulsionar o desenvolvimento das cidades beneficiárias e expandir as oportunidades económicas e sociais no Senegal.

 

O que achas deste plano? Estes novos desenvolvimentos no Senegal vão melhorar a vida das pessoas? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

Imagem: © Dakarmidi
close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.