Smart África: Mercado Digital Único Africano.

A criação dos projetos de conectividade africana, através da Smart África, que se encontra em desenvolvimento vai permitir que o continente consiga ser transformado num Mercado Digital Único, considerou nesta sexta-feira 25 de Fevereiro de 2022, em Luanda, o secretário de Estado das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, segundo noticiou o Jornal de Angola.

Mário Oliveira, que falava no 5º encontro do Conselho de Ministros da Smart África, no formato virtual, referiu que a conectividade do ponto de vista geográfico de Angola conta com dois cabos submarinos internacionais (SACS e LEX), que poderão desempenhar um papel importante nos países internos de África sem saída para o mar e facilitar o escoamento.

Ao falar em representação do ministro da Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Oliveira salientou que a Reunião de Ministros passou em revista tudo quanto foi decidido no quarto encontro e analisar um conjunto de perspetivas, projetos que constam na carteira de desenvolvimento da referida plataforma.

O secretário de Estado explicou, também, que o objetivo principal do encontro é fazer o balanço dos projetos de maior destaque no processo de retificação do acordo que estabelece a Smart África e os decorrem, bem como a Estratégia Trienal para Smart África 2023/2025.

Mário Oliveira destacou alguns projetos da plataforma como o apoio aos empreendedores e às pequenas e médias empresas (Startups), conectividade à comunidade africana, compra de capacidade de Internet, Fundo para o Desenvolvimento de Startups e Tecnologias da Smart África.

Esclareceu, ainda, que o projeto de conectividade para 2030 vai marcar o desenvolvimento das telecomunicações e tecnologias de informação africana, para interligar o continente e criar vantagens nos sectores Económico, Social e Comercial.

O secretário de Estado avançou que a plataforma da Smart África abrange todos os países africanos e, na zona da África Austral, encontra-se bem representada por conta do contributo de Angola.

A 5ª Reunião do Conselho de Ministros das Tecnologias de Informação e Comunicação (CMICT) da Smart África, que se realizou nos formatos presencial e virtual, no Congo Brazzaville, entre esta quinta e sextas-feiras, contou com a participação presencial dos representantes da AFRINIC (que é o Registo Regional da Internet nas Ilhas Maurícias, Zâmbia, Costa do Marfim, RDC, Benim, Zimbabué, Quénia, Chade, Djibouti, Gana, Serra Leoa e Egipto).

Já no formato virtual, a reunião contou com a participação de Angola, Ruanda, Mauritânia e Burquina Faso.

A Smart África é presidida pelo presidente do Ruanda, Paul Kagame, e é coordenada pelo Congo Brazzaville.

 

O que achas do mercado digital único no continente? Este projecto, Smart África, vai trazer alguma mais-valia ao continente? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

Imagem: © 2015 Target Africa
close
pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.