Somália: 150 milhões de dólares levam luz a 7 milhões.

Da Somália, também nos chegam boas notícias.

O governo da Somali está a planear reconstruir e fortalecer a rede de distribuição, bem como melhorar a eficiência operacional nos principais centros de transformação elétrica.

As atividades propostas, incluem entre outras, a reconstrução e reforço da rede de subtransmissão e distribuição nos principais centros de carga elétrica para melhorar a fiabilidade da rede e a eficiência operacional dos fornecedores de energia.

Este montante financiará a implementação do Projeto de Recuperação do Setor de Energia da Somália e concentrar-se-á na hibridização e otimização de miniredes existentes.

Especificamente, isso envolve a instalação de sistemas de armazenamento de bateria e sistemas solares fotovoltaicos em minirredes movidas a diesel existentes.

Além de reduzir o consumo de combustível fóssil, a hibridização deve permitir que essas instalações ganhem energia.

O empréstimo do Banco Mundial concedido através da Associação de Desenvolvimento Internacional (IDA na sua sigla em Inglês) será usado ​​para financiar o acesso à eletricidade neste país do Corno da África, que tem sido devastado por décadas de guerra civil.

Apesar da paz estar gradualmente a voltar à Somália, a situação de guerra civil permanente tem dificultado o desenvolvimento do país, afetando principalmente o setor elétrico que é essencial para o desenvolvimento económico e humano.

Atualmente, a Somália não possui uma rede elétrica unificada. Este serviço é prestado principalmente por empresas privadas.

De acordo com o Banco Mundial, 90% da eletricidade da Somália é fornecida por minirredes isoladas movidas a diesel. “A combinação de um setor privado de energia altamente fragmentado e capacidade instalada insuficiente para atender à demanda atual e futura resulta em um serviço ineficiente e caro devido à falta de economias de escala”, explica a instituição financeira internacional.

O Banco Mundial estima que o financiamento do projeto proporcionará acesso à eletricidade a 1,1 milhão de famílias, ou cerca de 7 milhões de pessoas, incluindo 3,5 milhões de mulheres.

Atualmente, de uma população estimada em 15 milhões, apenas 6 milhões de pessoas têm acesso à eletricidade.

O empréstimo ao governo da Somália também deve permitir o reforço do fornecimento de eletricidade a estruturas de serviços públicos em áreas prioritárias como saúde, educação e abastecimento de água potável. Isso fornecerá acesso à eletricidade para 205 centros de saúde e 380 escolas na Somália.

O que pensa sobre isto? A situação na Somália é sustentável? Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.