Start-ups: 7,3M milhões dólares em 2022.

As start-ups africanas podem terminar 2022 com 7,3M milhões de dólares em fundos arrecadados, se o ímpeto do início do ano for mantido, garante o magazine digital AfricaThebigdeal já que essas empresas atingiram um novo recorde nos primeiros três meses do ano em curso (2022).

No primeiro trimestre de 2022, o financiamento mobilizado por start-ups africanas atingiu 1,8 mil milhões, ou seja, 2,5 vezes o valor obtido no mesmo período de 2021. Isso é indicado por um relatório recente da plataforma. thebigdeal.substack.com

“Provavelmente é apenas uma questão de dias até que o montante de 2 mil milhões seja alcançado”, comenta a plataforma.

Nas primeiras sete semanas de 2022, ou seja, a 18 de Fevereiro, as start-ups africanas já tinham acumulado mais de mil milhões em fundos arrecadados, graças a mais de 130 transações.

Três mega transações de 100 milhões e outras mais já foram divulgadas durante este primeiro trimestre de 2022.

Trata-se da captação de 100 milhões da start-up tunisiana InstaDeep, no final de Janeiro, de 250 milhões da fintech nigeriana Flutterwave em final de Fevereiro e de 105 milhões da fintech de mobilidade Moove Africa em meados de Março.

Os “Big Four” (os 4 grandes), a saber: Nigéria, Quénia, África do Sul e Egito continuam a atrair a grande maioria dos financiamentos em start-ups com 1,5 mil milhões em recursos obtidos, ou seja, 83% do total de financiamento captado no continente.

A Nigéria lidera com 600 milhões no primeiro trimestre de 2022, seguida pelo Quénia, 482 milhões, África do Sul, 228 milhões e Egito, 202 milhões.

Comparado ao primeiro trimestre de 2021, o Egito é o melhor dos “Big Four”.

O país do Norte de África multiplicou por 4,9 o total de fundos angariados no final de março de 2022.

Segue-se o Quénia e a Nigéria que registaram um crescimento no total de fundos angariados, em termos homólogos.

Apenas a África do Sul registou um decréscimo no total de fundos angariados no final de Março de 2022 em comparação com o final de Março de 2021.

Olhando para Dezembro de 2022, ou seja, no final do ano em exercício, no total anual, a thebigdeal.substack.com prevê aproximadamente 7,3 mil milhões em fundos arrecadados por todas as start-ups no continente, desde que o nível da captação de recursos com que começou o início do ano “se mantenha ao mesmo ritmo ao longo do ano”.

 

O que achas das start-ups africanas? Vale a pena apostar nelas? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”

Imagem: © DR / Francisco Lopes-Santos
close
pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.