Novastar, um grupo de investimentos baseado em Nairobi e em Lagos obteve 108 milhões de dólares americanos o que eleva o seu capital para 200 milhões de dólares americanos para financiar 12 a 14 investimentos em todo o continente.

A empresa foi originalmente cofundada no Quênia e adquiriu o seu primeiro portfólio em grande parte em torno de empresas da África Oriental.

Na Nigéria, startup Helium Health que atua na área de tecnologia da saúde obteve 10 milhões de dólares americanos para desenvolver a digitalização de dados, formalizar a monetização e habilitar a telemedicina para sistemas de saúde na Nigéria, Libéria e Gana. A Helium planeia expandir-se para o Quênia, Ruanda, Uganda e Marrocos.

Na África do Sul, a startup de agro-tecnologia , Aerobotics, fundada na Cidade do Cabo, conseguiu um financiamento de 5,5 milhões de dólares americanos da Naspers Foundry  continuar a desenvolver o uso  de imagens aéreas de drones e satélites  para fornecer serviços de deteção precoce de problemas a produtores de árvores e vinhos e otimizar o desempenho da colheita e mitigar os danos causados pelas pragas e doenças que atacam arvores e videiras.

Com uma equipa jovem, toda sul-africana, a Aerobotics produziu uma solução de tecnologia de classe mundial na África do Sul que já encontrou mercado nos EUA.

A Naspers, um dos maiores investidores em tecnologia do mundo, lançou a Naspers Foundry, um fundo de 96 milhões de dólares americanos para ajudar os empresários sul-africanos de tecnologia a crescerem.

No Quénia, a startup de agrotecnologia Apollo Agriculture obteve um financiamento da 6 milhões de dólares americanos para continuar desenvolver e aumentar a sua plataforma agrícola comercial para pequenos agricultores para ajudá-los a aceder aos insumos necessários para maximizarem a sua produtividade, lucros, financiamento e seguros. A Apollo já fez parceria com cerca de 25.000 agricultores até agora. O financiamento foi obtido de uma serie de investidores liderados pela Anthemis Exponential Ventures.

Na Nigéria, a Recyclan , uma empresa de tecnologia para reciclagem de resíduos plásticos , estabeleceu operações em toda a África a coletar resíduos para exportá-los para o resto do mundo, reduzindo  o desperdício de plástico nas praias, aterros e no oceano, impulsionando a coleta através dum aplicativo móvel e serviço de SMS que incentiva as pessoas a reciclar os seus resíduos, e em troca oferecem acesso a seguro de saúde e apoios escolares , entre outros.

Em seguida, processa e empacota esse resíduo conforme as especificações do cliente e depois o exporta para a América do Norte, Europa e Ásia. A empresa já reciclou 2.500 toneladas de resíduos plásticos, o equivalente a mais de 1.500 carros.

A África tem o maior índice de resíduos de plástico os quais são geridos inadequadamente.

É tóxico para o meio ambiente, mas é um grande negócio com o valor agregado e uma forma de contribuir para um melhor meio ambiente.

Até agora, autofinanciada, a Recyclan expandiu as suas operações em oito estados da Nigéria, além do Gana, Togo, Benim, Camarões, Burquina Faso e Quênia e montou recentemente uma fábrica de lavagem no Reino Unido de onde processa o seu próprio produto e já faturou mais 1,1 milhões de dólares americanos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.