Apenas há cinco anos, os agricultores do Sudão cultivavam, 472.000 toneladas de trigo em cerca de 250.000 hectares de terra.

Hoje, o país do Sahel está prestes a tornar-se um celeiro regional.

Uma das razões para a reviravolta agrícola do Sudão é o programa de Tecnologias para a Transformação da Agricultura Africana (TAAT), que é financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento.

Nos próximos quatro anos, a TAAT pretende aumentar a produção de alimentos em África em 100 milhões de toneladas e tirar 40 milhões de pessoas da pobreza, aproveitando tecnologias comprovadas de alto impacto para aumentar a produtividade agrícola e mitigar os riscos de segurança alimentar associados às mudanças climáticas.

“Agora, temos consistentemente trigo de boa qualidade e em quantidades recordes”, disse Daf’Allah Mohamed Ahmed, agricultor sudanês que participa do programa TAAT, que inclui formação em técnicas de produção. “Minha produção de trigo aumentou de 2,5 toneladas para 5 toneladas”, acrescentou Ahmed, com um largo sorriso, em artigo publicado pelo BAD, a que teve acesso Mercados Africanos.

As novas tecnologias agrícolas não apenas melhoram as colheitas, mas também melhoram a qualidade de vida de milhares de famílias no Sudão.

Os resultados da TAAT no Sudão, são promissores e os agricultores sudaneses estão a obter sucesso ao utilizar variedades de trigo tolerantes ao calor e outras tecnologias que aumentam a produtividade, ajudando o país a alcançar a tão desejada auto-suficiência na produção de trigo, um alimento da cesta básica.

Enquanto o trigo comum, normalmente produz altos rendimentos em temperaturas entre 20 e 26 graus Celsius, as sementes de trigo tolerantes ao calor prosperam em áreas onde as temperaturas excedem os 30 graus, caso do Sudão.

Desde 2017, o programa lançou sementes certificadas e mais adequadas ao clima quente e seco do Sudão.

Como resultado, o país registou recentemente a sua maior colheita de trigo.

A produção de trigo em 2020 atingiu 1,1 milhão de toneladas em 315,5 mil hectares de terras agrícolas e os especialistas, segundo o BAD, dizem que o país está no caminho de se tornar o próximo produtor de trigo da África.

O exemplo do Sudão e outras histórias de sucesso do TAAT levaram o Banco a promover outras iniciativas para acelerar a transformação agrícola do continente.

O BAD fez do Sahel uma das principais prioridades de investimento e de mobilização de novas fontes de financiamento para o avanço das oportunidades de adaptação agrícola às mudanças climática em África.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.