Mercados Africanos quer divulgar, também, formas de financiamento que talvez, não sejam muito conhecidas nos PALOP, mas que são usadas em muitas outras partes do mundo.

Temos visto muito pouco na literatura económica e financeira dos PALOP, referências a fundos ou financiamentos islâmicos e pensámos que havia aqui uma oportunidade para falar sobre o que são os fundos islâmicos, os chamados sukuke tudo o que gira em torno deles.

Um sukuk é um certificado financeiro islâmico, semelhante a um título (bond) nas finanças ocidentais, que cumpre a lei religiosa islâmica conhecida correntemente como Sharia, conjunto de normas de comportamento que regem a vida islâmica.

Entre as particularidades do sukuk é que eles não pagam “interesses”, porque, segundo o Islão, é proibida a geração de dinheiro a partir de dinheiro.

Assim e uma vez que a estrutura tradicional de títulos de dívida do Ocidente não é permitida, o emissor de um sukuk essencialmente vende um certificado a um grupo de investidores e, em seguida, usa os recursos para comprar um ativo no qual o grupo de investidores tem participação direta, parcial.

O emissor também deve fazer uma promessa contratual de recomprar o título numa data futura pelo valor nominal.

Compreender oSukuk

Com o aumento das finanças islâmicas, os sukuktornaram-se extremamente populares desde 2000, quando os primeiros produtos desse tipo foram emitidos na Malásia e depois no Bahrein em 2001.

Atualmente os sukuk são usados ​​por corporações islâmicas e organizações estatais em todo o mundo, ocupando uma parte cada vez maior do mercado global de renda fixa.

Entre as particularidades desse tipo de título é que eles não pagam juros. Isso porque, segundo o Islamismo, é proibida a geração de dinheiro a partir de dinheiro.

Segundo o Islão não é errado ganhar dinheiro, mas a atividade deve agregar valor à sociedade”.

A remuneração dos investidores é feita de forma diferente dos títulos tradicionais ocidentais.

Primeiro, articula-se um ativo ou ativos ao sukuk. Esse ativo passa-se ao investidor cujos ganhos do investimento são obtidos através do lucro gerado pelo ativo ou ativos.

No final, o ativo é vendido novamente ao emissor do sukuk.

Ou seja, um investidor num sukuknão possui uma obrigação de dívidapelo emissor do título, mas, em vez disso, possui uma parte do ativo que está vinculado ao investimento.

Isso significa que os detentores de sukuk, ao contrário dos detentores de títulos, recebem uma parte dos ganhos gerados pelo ativo associado.

Os sukukpodem ser emitidos por qualquer empresa, desde que ela não atue em indústrias como as de carne de porco,jogos de azar e as de bebida fica de fora.

A vantagem em aceder a estes fundos de investimento multimilionários atrai a atenção de países não muçulmanos, como por exemplo o Reino Unido que emitiu um sukuk no valor de 500 milhões de libras esterlinas.

Pela redação

close

VAMOS MANTER-NOS EM CONTACTO!

Gostaríamos de lhe enviar as nossas últimas notícias e ofertas 😎

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome aqui


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.