Tanzaniano Abdulrazak Gurnah ganha Nobel de Literatura.

Abdulrazak Gurnah, romancista tanzaniano, ganhou o Prémio Nobel de Literatura 2021. O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira, 7 outubro 2021, pela Academia Sueca.

Segundo a Academia, o prémio foi concedido “pela sua penetração intransigente dos efeitos do colonialismo e do destino do refugiado no abismo entre culturas e continentes.”

” Os seus romances fogem de descrições estereotipadas e abrem os nossos olhares para uma África Oriental culturalmente diversificada, desconhecida para muitos em outras partes do mundo”, afirmou a Academia.

Gurnah nasceu em 1948, cresceu na ilha de Zanzibar e chega a Inglaterra na década de 1960 como refugiado. O romancista começou a escrever aos 21 anos de idade e publicou dez livros e diversos contos ao longo da carreira. A temática de refugiados é a base de todo seu trabalho.

O romancista é conhecido sobretudo pelo livro “Paradise”, de 1984, cujo enredo se passa na África Oriental durante a Primeira Guerra Mundial. A obra foi finalista, na época, do Booker Prize de ficção.

No entender do comité sueco, a obra literária de Abdulrazak Gurnah é um “retrato vívido e preciso de uma outra África, numa região marcada pela escravatura e por diferentes formas de repressão de vários regimes e poderes colonialistas: português, indiano, árabe, alemão e britânico”.

Em Zanzibar, onde ainda vivem familiares de Gurnah, a notícia da atribuição do Nobel de Literatura foi recebida com alegria, embora só os habitantes mais velhos se lembrem do escritor e poucos tenham lido alguma das suas obras, já que são difíceis de encontrar, como disse o ministro da Educação, Simai Mohammed Said, à agência de notícias Associated Press (AP).

Outros dos seus livros incluem (“Memory of Departure”) (Memoria da Partida) publicado em 1987 e conta a história de um jovem talentoso que tenta uma nova vida sob a proteção do tio em Nairobi, mas que em vez disso, é humilhado e tem que retornar para a sua família problemática, incluindo um pai alcoólico e uma irmã que é forçada a se prostituir.

“Pilgrims Way” (1988) e “Dottie” (1990) foram os livros seguintes do romancista.

A sua obra mais recente, “Afterlives”, foi publicada em 2020, e conta a história de Hamza, um jovem que é forçado a ir para a guerra ao lado dos alemães e se torna dependente de um oficial que o explora sexualmente.

Gurnah foi até recentemente, Professor de Inglês e Literaturas Pós-coloniais na Universidade de Kent, em Canterbury, na Inglaterra, e reformou-se há pouco tempo.

O famoso escritor e Prémio Nobel da Literatura em 1986, o nigeriano Wole Soyinka, manifestou alegria pela atribuição do Nobel a Gurnah, afirmando que é um sinal de que as artes, em particular a literatura, “são uma bandeira que resiste acima das realidades deprimentes”, num “continente em permanente construção”.

O prémio consiste numa medalha e na quantia de 10 milhões de coroas suecas (1,1 milhão de dólares).

Com a pandemia de covid-19, pelo segundo ano consecutivo, o vencedor receberá o prêmio em seu país de residência.

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite aqui o seu nome


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.